Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

365 forte

Sem antídoto conhecido.

Sem antídoto conhecido.

09
Mar13

Prefaciar por aí

Nuno Pires

Carlos Esperança, Cavaco Silva e a fábrica de moagem:

O PR saiu para a grandiosa cerimónia de inauguração da nova moagem da empresa de cereais Nacional, no Beato, em Lisboa. Enquanto o país é triturado pelos impostos e a fome grassa nas famílias portuguesas, o PR inaugura uma nova moagem.

 

Guida, O protagonismo mediático está verde, não presta:

A tarefa em que Cavaco mais se empenhou desde que é Presidente foi a guerra que lançou ao Governo de Sócrates.

 

JSC, É mau de mais!:

Ao Presidente não se pede que se justifique, antes que actue. Que seja transparente na sua atuação, o que implica que se conheça o sentido da sua acção.

 

Fernanda Câncio, Ele e mais ninguém:

Presidente da República ainda se escreve com maiúsculas. Mas se o novo AO não mudou isso, o atual detentor do cargo está empenhado em reduzi-lo a paródia e opróbrio.

 

Viriato Soromenho Marques, No Palácio de Cassandra:

Cavaco Silva desistiu de ser um protagonista para se tornar num mero comentador.

 

A.R., O silêncio:

Em democracia, o silêncio não se escrutina nem vai a votos.

 

26
Fev13

Vizinhança enriquecida

Nuno Pires
Filibuster

 

Como a Shyznogud já referiu (e a quem "rapinei" a imagem acima), alertamos para a chegada de novos vizinhos.

 

O Filibuster está aí, com um naipe de autores de grande nível, augurando magníficos textos, cuja relevância é acrescida pelos tempos que vivemos e que, como o post inaugural realça, não são como os outros.

 

Desde já com lugar reservado na nossa vizinhança e para acompanhar nas leituras do dia-a-dia.

14
Jan13

Vizinhança

Nuno Pires

Guida, magalhães, de anedota a produto estrela:

Sócrates só teve ideias estapafúrdias, como sabemos, mas há uma que, para mim, bate todas as outras aos pontos: magalhães.

 

João Pinto e Castro, "O FMI a dar razão a Sócrates":

Peço muita desculpa, mas isto não é reformar o estado, é destruí-lo à martelada.

 

Pedro Lains, Interessantemente...:

Do ponto de vista intelectual, não se compreende como alguém consegue defender dois erros seguidos sem pestanejos: o de ter ido para além da troika, em 2012, e agora, para cobrir esse erro, o de ir para além de tudo o que ainda mexe.

 

Francisco Seixas da Costa, Jean-Claude Juncker:

Se Portugal tem verdadeiros amigos entre os dirigentes desta Europa, a experiência demonstrou-me que Jean-Claude Juncker é o mais dedicado dentre eles.

 

Hugo Mendes, O Estado social só «para os pobres»: um modelo que se derrota a si próprio:

Se os (neo-)liberais pudessem desenhar um Estado social a partir do zero, todos as prestações e serviços que existissem – e seriam residuais – estariam sujeitos a condição de recursos.

 

Val, Singelo pedido à direita portuguesa:

Aproveitar uma crise sem precedentes no regime democrático e na memória dos vivos para impor alterações não sufragadas eleitoralmente é a sempiterna cobiça da oligarquia.

 

06
Jan13

Vizinhança

Nuno Pires

Domingos Farinho, Tribunal Constitucional e Governo: entre a chantagem e a secretaria:

E vende-se isto tudo por uma razão simples: o ideário do Governo não resiste à Constituição.

 

e-pá, Cogitações de um domingo à tarde...:

Depois da total ‘desregulação’ do mercado de trabalho segue-se o quê? O crescimento económico? Ninguém acredita!

 

Estrela Serrano, A senhora Lagarde julga que somos parvos:

Quando e se regressarmos aos mercados, o único grande objectivo do Governo, o financiamento de que necessitaremos será para reconstruir o País que Passos e Gaspar entretanto destruíram.

 

Val, O queque malcriado descobriu os acontecimentos externos:

Isto da actual direita ser isto, a mais descarada falta de coerência e de vergonha, não nos deve impedir a análise dos seus procedimentos.

 

Carlos Esperança, Frases célebres da «malta dos bifes» em 2012:

«A medida é extraordinariamente inteligente e os nossos empresários que se apresentaram contra a medida são completamente ignorantes e não passariam no primeiro ano do meu curso na faculdade»

16
Dez12

Vizinhança

Nuno Pires

António Horta Pinto, Um Governo poluente:

Isto é: no entender do governo, o ambiente de que vamos usufruindo também está “acima das nossas possibilidades”; não podemos dar-nos ao “luxo” de o proteger. Há que deixar poluir!

 

Domingos Farinho, Eleitos para destruir:

O melhor exemplo do gigantesco engodo em que permanentemente vivemos com este Governo é a recente narrativa da refundação do Estado e o inacreditável período de tempo em que se fará tal coisa: 3 meses.

 

João Rodrigues, Depressão:

É então preciso repetir pela enésima vez que quando todos tentam poupar todos podem acabar a poupar menos, em especial quando o Estado se comporta como se fosse uma família em crise

 

Pedro Lains, Festa Brava:

Há uma "guerra das pensões" no ar. Não se percebe muito bem o que é, mas é.

 

Val, Natal à espanhola:

Este é o ano ideal para assumirmos a tradição espanhola e adiar a entrega das prendas de Natal para o Dia de Reis, a 6 de Janeiro.

 

09
Dez12

Vizinhança

Nuno Pires

A.R., Buscas, notícias, impunidade:

A investigação criminal continua a sustentar a intriga mediática e a destruir reputações. Há algum tempo, a Ministra da Justiça anunciou o fim da impunidade. Com esta, pelo menos, ainda não acabou.

 

Eduardo Pitta, Ventríloquo:

Gaspar erra nas contas e engana os portugueses. A todas estas, o Presidente da República aproveitou uma passagem pelo Casino Estoril para dar um remoque ao governo. É isto o regular funcionamento das instituições?

 

Isabel Moreira, Talvez parar de falar nas declarações de voto de alguns Deputados do CDS e olhar para a declaração de voto de todos os Deputados do PSD:

Para a vergonha ser esta, para a ilustração de seres movidos a pilhas com comandos remotos ser esta, mais valia que não apresentassem declaração alguma.

 

Mariana Vieira da Silva, Não aprendem, nunca aprendem:

O governo decidiu acabar com os planos de recuperação - tentativa de recuperação do insucesso escolar que procurava actuar antecipadamente junto dos alunos com avaliações intermédias negativas ou excesso de faltas - sem explicar as razões e sem apresentar verdadeiras alternativas.

 

Miguel Marujo, Porque não se calam antes de dizer disparates?:

Em tempos de crise, a demagogia solta-se com juvenis más-criações.

 

Sofia Loureiro dos Santos, Clima totalitário:

O que mais impressiona é termos governantes que consideram óbvia a necessidade de não se responsabilizarem, enquanto representantes eleitos, pelo bem-estar dos seus concidadãos.

 

02
Dez12

Vizinhança

Nuno Pires

A.R., 1 de dezembro:

A independência é um valor da História que não se pode negar.

 

Estrela Serrano, Ó tempo, volta para trás! (desculpem lá!):

O País está mesmo sem graça. Já não temos os “grandes” julgamentos dos “políticos corruptos” que no passado recente faziam os jornais vibrarem com grandes manchetes, como o Sol, o Correio da Manhã e o “saudoso” Jornal Nacional de Sexta, da TVI, com escutas telefónicas, pinóquios, envelopes com dinheiro, caixas de robalos….equipas especiais, “cachas” todos os dias...

 

Fernanda Câncio, obviamente:

Demite-se um PM quando é mais danoso para o País mantê-lo no lugar que arriscar outra solução, por fraca e incerta que pareça. Quando cada dia que permanece no lugar para o qual foi eleito cria perigo para a comunidade.

 

José Simões, Que tristeza!:

Se a ideia era limpar a imagem de Nuno Crato e ressuscita-lo como um defensor da escola pública, parabéns à central de informação do Governo, mas como este Governo não tem ideia nenhuma para nada que não seja a ideia de destruir tudo para construir de novo à medida da religião ideologia que professa, Pedro Passos Coelho faz figura de mentiroso e vem dizer que não disse aquilo que na realidade disse

 

Paulo Pedroso, A Grécia provou que os memorandos de entendimento não estão escritos na pedra. E isso incomoda alguns:

Quanto já podiamos ter melhorado o nosso Memorando de Entendimento se não tivéssemos no governo alguém que mal consegue disfarçar que não gostou das notícias que implicam uma descida substancial dos juros que pagamos, entre outras vantagens para o país?

25
Nov12

Vizinhança

Nuno Pires

Val, Bafo de Onça:

Ver o Chefe de Estado a brincar com o empobrecimento, a miséria, a fuga de Portugal de centenas de milhares, o desespero de milhões, a irresponsabilidade governativa, a cobardia presidencial e o potencial descalabro do regime não pertence ao registo da comédia. Pertence à sua irmã grega.


Eduardo Pitta, Citação, 422:

José Pacheco Pereira, Os intelectuais e a “anulação do destino”, hoje no Público [...] «há uma enorme circulação de mentiras em curso, e há um enorme sofrimento na maioria das pessoas comuns»

 

Miguel Abrantes, A máquina de demitir pessoas que se mantém sempre em pé:

Eduardo Cintra Torres é um fervoroso apoiante deste Governo e foi uma das pessoas nomeadas pelo Dr. Relvas para a comissão incumbida de definir o serviço público de rádio e televisão. Por isso o seu depoimento tem um valor acrescido.

 

A.R., À espera de Godot:

As reformas, essas, podem continuar a esperar.

 

Hugo Mendes, A troika no seu melhor:

"Greek banks continue to face the consequences of the recession and an unwillingness of some borrowers to service their debt obligations, while credit to the economy keeps shrinking."

 

 

«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.»
- Ortega y Gasset

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

No twitter

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D