Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

365 forte

Sem antídoto conhecido.

Sem antídoto conhecido.

16
Mar16

cajadada

João Gaspar

em 2011, quando mentiu sobre o pec iv para precipitar a queda do governo, consta que passos coelho terá ouvido um ultimato interno: "ou há eleições no país, ou há eleições no partido.". sem surpresa e sem carácter, passos coelho pôs a ambição pessoal e o partido à frente do país. em 2016, ao votar contra o orçamento de estado e ao abster-se de propor alterações, e em pleno processo de reeleição interna, passos coelho (com alguma surpresa mas ainda menos carácter) expõe os deputados eleitos pelo psd a uma estratégia inqualificável num partido chave da democracia portuguesa. durante quatro anos tentou destruir o país, agora parece querer destruir o partido, o que, sem ironia, seria uma pena. a não ser que o psd se tenha realmente transformado nisto, o que, sem ironia, seria uma pena ainda maior.

4 comentários

  • Imagem de perfil

    João Gaspar 16.03.2016

    carlos, a cegueira é tanta que responde a coisas que não escrevi. mas pronto, vejo que refuta tanta coisa mas registo que não refuta que o passos coelho mentiu sobre o pec iv.

    não tenho nada contra as ambições pessoais, era o que faltava. apenas fiz notar que o passos coelho a colocou à frente do interesse nacional primeiro e do partido agora.
  • Sem imagem de perfil

    Carlos 16.03.2016

    Olhe outro ceguinho , se quiser arrranjo-lhe mais uns quantos. Passos Coelho mentiu sobre o Pec IV ? Já sabemos, mentiu e foi ele que chamou a troika. Parafraseando Scolari , depois o cego sou eu.....

    Eis o PEC IV
    16 Dez 2010 Pedro Carvalho (Jornal Económico)
    Eis o novo Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC). O PEC IV. Cada novo PEC que o Governo apresenta é um atestado de incompetência ao PEC anterior.
    É o Governo a reconhecer que não tomou as medidas necessárias de forma atempada (por falta de coragem, por calculismo político ou por excesso de optimismo) e que é preciso vir o Fundo Monetário Internacional e a Comissão Europeia dizer como devemos arrumar a nossa casa. A sucessão dos PEC I, PEC II, PEC III e PEC IV mais parece daqueles filmes de terror de série B em que o herói, quando pensou já ter aniquilado o monstro (leia-se, o défice), volta a encontrá-lo no final, antes do genérico. E seguem-se as intermináveis sequelas. E a produção dos PEC sucede-se a uma velocidade (Março, Maio, Outubro e Dezembro) digna da indústria de ‘Bollywood'.

    O PEC IV foi apresentado ontem por quatro dos ministros com pastas de peso - Finanças, Trabalho, Economia e Presidência - e vai ser levado por José Sócrates, hoje, ao Conselho Europeu. A última vez que lá esteve, com Teixeira dos Santos, fez má figura, visto que não tinha feito o trabalho de casa e calhou estar ao lado de Elena Salgado que trazia a lição bem estudada e apresentou uma reforma nas leis laborais espanholas. E quando não se faz o trabalho de casa o mais fácil é copiar. Foi o que fez o Governo. Apresentou também alterações ao Código do Trabalho: introdução de um limite máximo ao valor da compensação nos despedimentos e a criação de um fundo empresarial para pagar essas mesmas indemnizações. E, para não variar, quem paga são sempre os mesmos: o fundo será alimentado através de um desconto na massa salarial dos trabalhadores.

    Apesar de tudo, este PEC é diferente, para melhor, face aos anteriores. Em vez de se limitar a subir os impostos (IVA, IRS e mais-valias), a cortar nos salários, nas deduções fiscais ou a introduzir portagens nas SCUTS - tudo medidas recessivas - o PEC IV tem a preocupação de gizar medidas para espevitar o crescimento económico. Finalmente o Governo percebeu o que significa a letra C na sigla PEC. Apoiar as PME, criar um Simplex para as empresas exportadoras, apostar na reabilitação urbana como forma de dinamizar o mercado de arrendamento e combater a fraude e a evasão contributiva são tudo medidas que merecem o nosso aplauso.

    As medidas mais discutíveis, sobretudo pelo ‘timing', são mesmo aquelas que pretendem flexibilizar as leis laborais. Ao contrário do que o Governo está a tentar vender para consumo interno (que as alterações vão servir para "incentivar novas contratações e a criação de emprego"), flexibilizar o Código do Trabalho durante um ciclo recessivo pode fazer disparar o desemprego, que já vai em mais de 600 mil. Se continuarmos a copiar tudo o que vem de Espanha arriscamo-nos a ficar igual a eles: 20% da população activa no desemprego.
    ____

  • Imagem de perfil

    João Gaspar 16.03.2016

    pronto, fico mais descansado. ficaria preocupado se não refutasse isso. enfim, o pec iv aqui servia para contextualizar a golpada no tempo. se quiser podemos discuti-lo depois (ou em 2011, tanto faz) e concluímos que a culpa é do sócrates.


    vou ousar deduzir que o carlos faz parte dos satisfeitos com esta estratégia suicida no parlamento.

  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    «As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.»
    - Ortega y Gasset

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    No twitter

    Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2021
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2020
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2019
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2018
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2017
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2016
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2015
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2014
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2013
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2012
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D