Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



10
Abr

Tenhamos medo

por Diogo Moreira

“Se uma vedeta da elite jornalística como Pedro Santos Guerreiro não percebe o que é uma golpada presidencial quando ela lhe cai em cima, há que ter medo. Se percebe, e finge que não percebe, há que ter ainda mais medo.”

Autoria e outros dados (tags, etc)


1 comentário

De Joe Strummer a 11.04.2015 às 09:22



Perfeito.O nosso medo há-de ser de alguma forma proporcional ao medo sentido por este "jornalista" em perder o emprego, daí, e para estar de acordo com a leitura econometrica dos tempos, talvez fosse possivel arranjar uma fórmula para calcular proporcionalmente o indice de medo. Qualquer coisa como, Medo=salario -(coragem+ética* etc....)....

Ainda a propósito deste "jornalista" e da sua tecnica lembra um doc que vi sobre o John Lennon em que em fan alucinado lhe foi bater à porta e começou a recitar de cor as letras mais significativas e misteriosas da banda com uma exegese muito propria que lhes descortinava um sentido oculto e profundo. Lennon disse-lhe que as letras não tinham nada a ver com aquilo que se tratavam por vezes de meras colagens de textos (tecnica tambem usada por Dylan e outros), que fosse para casa e tentasse fazer da vida o melhor que conseguisse.
Claro que é tão obvia a diferença não só de genio mas de ética com o jornalista que até chega a ser ridiculo, o ponto não é esse, o ponto é: Quem é que morreu assassinado com uma bala na cabeça? Difusa a lógica, não é? Nem por isso, e até nem se trata do medo, e deste ser um saudável regulador da sobrevivência mas o de como se vive a vida. Vivo ou vivinho do costa.

Comentar post




Sitemeter



Comentários recentes

  • João Rosa

    Este post já tem algum tempo mas desde que se inic...

  • Zzzzz

    Qualquer comparação, equiparação, ao nazismo, abso...

  • Sérgio Lavos

    Concordo, devemos respeitar quem é diferente de nó...

  • Bruno

    Muito sinceramente, isto é tudo muito lindo, mas h...

  • alvaro silva

    Só vejo dores de cotovelo e premonições de catástr...







«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.» Ortega y Gasset