Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

365 forte

Sem antídoto conhecido.

Sem antídoto conhecido.

03
Dez15

Política pós-verdade

CRG

To most voters out in the vast middle, consensus across parties is a very strong indicator of acceptability. Conversely, if there is no support on the other side — if the proposal is controversial — there is something suspect about it.

David Roberts

 

O PSD, através do seu porta-voz, afirmou que o Governo não contará com o seu apoio político e Passos Coelho na entrevista à RTP disse que Costa devia apresentar a demissão caso ficasse dependente dos votos dos sociais-democratas. Acresce que a direita não perde uma ocasião de lançar acusações de ilegitimidade democrática, chegando mesmo a apelidar o governo de "socialista e comunista".

 

Esta radicalização da oposição parece supor uma estratégia concertada de transformar o Governo do PS em extremista, esvaziar o centro, e gerar tal controvérsia em torno das propostas do governo que estas passem a parecer irrazoáveis à opinião pública. Presumo que ao mesmo tempo a coligação de direita irá tentar apresentar projectos de lei que tenham apoio do PS e assim criar uma imagem de moderação, reclamando como seu um novo centro político.

 

Poderemos, então, estar a assistir ao nascimento - do qual o episódio do PEC 4 foi o primeiro sintoma - de uma nova realidade: a política pós-verdade. Um termo cunhado por David Roberts em que a política-politics (as tácticas partidárias, a narrativa construída pelos órgãos de informação e o conjunto de opinião pública) se encontra desconectada da politica-policy (no sentido de substância).

 

Será interessante perceber como vão reagir os eleitores a esta realidade? Será que  irão reagir com um maior afastamento, maior abstenção e aumento de radicalização? E não será essa o efeito pretendido desta estratégia? 

7 comentários

Comentar post

«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.»
- Ortega y Gasset

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

No twitter

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D