Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



"E a tristeza tem sempre uma esperança..."

Vinicius de Moraes

 

Por este motivo a propaganda do Governo é tão poderosa e é nisto que vai ser a base da sua campanha eleitoral nas próximas eleições legislativas (ah e culpar o Sócrates e sabotagens várias). Ela corresponde a uma ânsia de acreditar que vai tudo melhorar, que nada foi em vão; todos os sacrifícios valeram a pena e que o futuro será melhor.

 

Com efeito, não é necessário para o seu sucesso que a propaganda tenha um núcleo de verdade, nem precisa de ser verosímil, basta que corresponda a uma predisposição, a um desejo latente.

 

A satisfação é sempre incompleta. Somos insaciáveis, faz parte da nossa essência. E como tal os níveis de contentamento são ajustados a cada patamar atingido. Como escreveu Naipaul: "satisfaction solved nothing. It only opens up a new void, a fresh need." E,

 

se mesmo assim, nem que seja por um instante, for atingida a satisfação plena esta é agridoce uma vez que permanece uma certeza: esta não pode durar para sempre.

 

Deste modo, será porventura mais fácil uma reeleição baseado nuns ligeiros e ténues sinais que demonstrem (mesmo que erroneamente) uma melhoria do que com o aviso Macmilaniano de "never had it so good".

  

A ser verdade quais são os incentivos que isto representa para um Governo em funções? 

 

 (Foto via @LucianoAlvarez)

 

* Um texto de 8 de Abril de 2014 que por causa do discurso de hoje de Passos Coelho na AR publico aqui com ligeiras alterações.

Autoria e outros dados (tags, etc)


5 comentários

De Joe Strummer a 30.10.2014 às 14:47



A insatisfação é o a modelo de negócio da sociedade de consumo.

When I'm drivin' in my car, and the man come on the radio
He's tellin' me more and more about some useless information
Supposed to fire my imagination

A gratificação pode ser adiada por um motivo compreensível:

And I'm tryin' to make some girl, who tells me
Baby, better come back maybe next week
Can't you see I'm on a losing streak

Mas nunca por um tipo ( PCoelho) que nada tem a ver connosco:

When I'm watchin' my tv and a man comes on and tell me
How white my shirts can be
But, he can't be a man 'cause he doesn't smoke
The same cigarettes as me

No Future.

Que ideia de oposição tem o Ferro Rodrigues na cabeça quando argumenta com a Manuela Ferreira Leite e Bagão Felix??! Não percebe que isso é uma total perda de autoridade politica?!

De Joe Strummer a 01.11.2014 às 22:01


PS- Quem ouve Satisfaction percebe que está a tomar contacto com uma das maiores criticas à sociedade capitalista e aos seus efeitos alienantes, uma visão quase marxista da sociedade americana? cantada e tocada por uma banda que na altura estava em fuga fiscal provocada por um governo trabalhista, depois de um exilio em frança? e cujos membros quando estavam a entrar na puberdade ouviram o celebre discurso de harold mccmillan?

Claro que não, o espectaculo sobrepõe-se a tudo isso. E nisso os Stones não deixam os seus creditos em mãos alheias. Neste caso a ultima percepção leva a melhor. Last cut is the deepest.

De CRG a 04.11.2014 às 15:11

Tinha ideia que o exílio é na fase do "exile on main st" e porventura a "satisfaction" um prenúncio do Maio 68.

Abraço

De Joe Strummer a 04.11.2014 às 16:00


Sim, tens razão. O exilio (exile) é em 72 posterior a Satisfaction que foi gravada nos States e é inspirada pela sociedade americana.

De Knome a 30.10.2014 às 20:21

Ler socialistas a falar de propaganda tem a sua piada...mas nenhuma credibilidade. Chega a ser penoso.

Comentar post




Sitemeter



Comentários recentes

  • Jaime Santos

    Eu não entendi o comentário do Diogo Moreira nesse...

  • MRocha

    Se está na lei que devem ser públicas, cumpra-se a...

  • Jaime Santos

    Trump, além de mentiroso, é sobretudo um egomaníac...

  • Joe Strummer

    Pois, mas convem não deixar que noutro lado se ins...

  • Anónimo

    E estou eu contratado pelo estado à 16 anos.







«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.» Ortega y Gasset