Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

365 forte

Sem antídoto conhecido.

Sem antídoto conhecido.

06
Fev15

Onde vai parar o dinheiro dos resgates?

MCF

 

Algumas pessoas receberam com surpresa a notícia de que, no caso Grego, uma percentagem muito elevada do dinheiro do resgate foi para tudo menos para financiar o funcionamento do Estado:

 

 Ora, e em Portugal, para onde foram os 78 mil milhões de euros do resgate?

 

1) 12 mil milhões de euros foram afectos às necessidades de capital da banca;

 

2) 30 mil milhões foram para juros da dívida pública entre 2011 e 2014;

 

3) 20 mil milhões de euros foram aplicados na amortização de dívida pública (números só para 2013 e 2014).

 

Independentemente de nos faltarem aqui e ali alguns dados (e de ser possível ter uma interminável discussão metodológica em torno de cada um daqueles números), uma coisa parece evidente: cá como na Grécia os resgates acabam por garantir essencialmente a posição do sector financeiro e dos credores.

5 comentários

Comentar post

«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.»
- Ortega y Gasset

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

No twitter

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D