Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

365 forte

Sem antídoto conhecido.

Sem antídoto conhecido.

24
Set14

Navalha de Occam

CRG

"Se em tudo o mais forem idênticas as várias explicações de um fenómeno, a mais simples é a melhor"

 Guilherme de Ockham

 

Passos Coelho insiste que não se recorda se durante três anos auferiu cerca de 5 mil euros por mês. Por si só isto seria inverosímil. No entanto, para o caso é irrelevante uma vez que quer na declaração de IRS quer no pedido entregue à AR em 2000 o agora Primeiro-Ministro declarou expressamente que não havia recebido qualquer verba para além do vencimento de deputado e de participações em órgãos de comunicação social.

 

Deste modo, é incompreensível por que razão Passos Coelho não reitera a informação veiculada nesses documentos e simplesmente negue que tenha recebido tais quantias — a menos que duvide da veracidade das suas declarações.

 

Se assim é, e mesmo que tudo fique esclarecido, como é possível confiar num Primeiro-Ministro que nem em si próprio confia?

1 comentário

Comentar post

«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.»
- Ortega y Gasset

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

No twitter

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D