Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



08
Jan

Desde logo porque já escrevi e apaguei o título deste post umas quantas vezes porque tenho medo, leram bem, medo, que me levem a mal.

Mas gostava, gostava de ser Charlie, ou melhor, gostava de ser destemida, de abrir a boca sempre que acho que o devo fazer e deitar cá para fora tudo o que me apetece dizer sem receio das consequências. Mesmo que as consequências pudessem ser, e quase nunca o são, uma rajada de tiros.
Ontem muitos foram Charlie, foram-no todos aqueles que saíram para as ruas sem medo de uns malucos que por lá andavam à solta carregados de armas, mas nós, os que acenamos com um JeSuisCharlie cá de longe sem receios de maior, continuamos de joelhos porque temos medo de morrer de pé. Ou de ser despedidos. Ou de ser mal vistos pela vizinhança. Ou de desagradar ao chefe, à namorada, aos amigos, ao gerente do banco, aos filhos teenagers, ao editor do jornal, ao político da praça, aos donos disto tudo.
 
Este não foi um atentado contra a liberdade de expressão, ou contra a humanidade, ou contra a Democracia, este foi um atentado contra a coragem de alguns, contra os que ainda não têm medo. A liberdade de expressão não tomba pelas mãos de uns encapuçados que matam a frio com tiros na nuca e fogem a seguir, a liberdade de expressão não treme assim, os três assassinos, e é só isso que eles são, assassinos, têm o poder de matar mas depende só de nós que passem a ter também o poder de abalar todos os nossos valores. Estes homens têm nomes e rostos e são eles, e só eles, que devem responder pela barbárie de ontem. A liberdade de expressão não foi atingida a tiro mas ao levantarmo-nos em massa contra um inimigo desconhecido estamos sem balas mas com o nosso medo a pôr em causa um outro princípio fundamental, o da justiça. Não procuremos a mão que embala o berço mas a que dispara a arma, que estes homens, estes e só estes, os que dispararam as armas, sejam perseguidos, apanhados, julgados e punidos de acordo com as regras civilizacionais de que todos nós, sem medo, nos recusamos a abrir mão.
 
Ontem homens foram assassinados porque sem medo exerciam o seu direito de se expressarem e a melhor, e única, forma de lhes fazermos justiça é de acordo com as mesmas regras do estado de direito que lhes permitiam serem livres nas suas convicções apanharmos os assassinos e julgá-los mostrando-lhes que independentemente das suas crenças pessoais ou dos gritos por um divino qualquer, eles não passam de criminosos comuns sentados num tribunal ao lado de outros criminosos comuns porque violaram a lei.
Generalizarmos a discussão com atentados à liberdade é estarmos a fazer a guerra deles, uma guerra santa qualquer onde todos os bons são Charlie e onde todos os outros são Saïd Kouachi, Chérif Kouachi e Hamyd Mourad.
 
 
 

Autoria e outros dados (tags, etc)


14 comentários

De CBO a 08.01.2015 às 15:16

Estou a aplaudir de pé.
Se me permite, deixo aqui o que ontem escrevi sobre o assunto e que vai de encontro ao que escreve:

http://cronicasdorochedo.blogspot.pt/2015/01/as-tragedias-tambem-sao-uma-oportunidade.html

De Teresa a 09.01.2015 às 13:42

Olá, Carlos. Há muito que não tinha o prazer de te ver, sim, tratávamo-nos por tu nesta coisa da blogaria, a comentar um post meu mas lá no outro tasco eras visita habitual. Até por isso é bom regressar.

De ALÔ CHARLIE DELTA TANGO... a 09.01.2015 às 18:59

SE NÃO TÊM MEDO SÃO RETARDADOS NÉ....O SALMÃO RUSH AND DIE ANDOU A FAZER PLÁTICAS E A VENDER LIVROS DE MERDA UM ROR DE ANUS PLOS TESTÍCULOS SATÂNICUS...

De Teresa a 09.01.2015 às 23:48

Roger, Roger.
Que fumas tu, ó Tango?

De CBO a 09.01.2015 às 22:46

Olá Teresa!
Desculpa mas não te identifiquei como sendo a"mesma" Teresa :-).
Passo por aqui com frequência, mas raras vezes comento. Se soubesse que era a"mesma" Teresa, já teria dado sinais de vida.

De Teresa a 09.01.2015 às 23:46

Olá Carlos. (Agora sim)

Dificilmente me poderias ter identificado antes, comentaste no primeiro post que escrevi nesta casa.
Bom rever-te.

De JRodrigues a 08.01.2015 às 17:12


Liberdade de expressão?!

Eu sei que tem sido esse o denominador comun das reacções ao recente ataque contra o CH. Deduz-se que o CH seria um exemplo óbvio de prática de “ liberdade de expressão” ? Possivelmente ! Com efeito, já li quem vá mesmo ao ponto de considerar que a existência de um CH “glorifica um país em termos de liberdade de imprensa” ( Embaixador Seixas da Costa )!

Separemos as àguas: condeno sem reservas e lameto profundamente o sucedido; mas isso não pode tolher-me a critica à permissa que qualifica o cv do CH como paradigma de “ liberdade de expressão” ou “liberdade de imprensa”.

A meu ver a linha editorial do CH ilustra a banalização de uma tremenda confusão : da liberdade de expressão como um suposto direito inalienável a ridicularizar de forma intencional, reiterada e objectiva as crenças e as noções de sagrado ou o bom nome de quem quer que seja. Não é assim. A liberdade de expressão tem limites, nomeadamente aqueles que os proprios jornalistas estabelecem a si proprios nos respectivos Códigos Deontológicos. Ora a “liberdade de expressão” tal como o CH a tem utilizado não cumpre esses requesitos. E nessa medida resvala para um mero exercicio de libertinagem gratuita e por isso tão perniciosa quanto o fundamentalismo que supostamente pretenderia combater.

Nós por cá, pelo menos aqueles que estamos sempre tão disponiveis para criticar os atentados à dignidade das praxes académicas ou os assassinatos de carácter perpretados pelos editoriais do Correio da Manhã, bem que poderiamos aproveitar a oportunidade para afirmar perentóriamente e sem medos , que não nos revemos numa sociedade em que a liberdade se confunde com libertinagem, sob pena de, em lugar de uma civilização termos aquilo que queremos condenar: a barbárie !


JR

De CRG a 08.01.2015 às 17:28

"If a large enough group of someones is willing to kill you for saying something,then it’s something that almost certainly needs to be said"

De Anónimo a 08.01.2015 às 17:52

Eventualmente ! :)

De Andre a 26.01.2015 às 02:30

"A liberdade de expressão tem limites" é um oximoro. Presumo que você não sabe o que tal significa...

Imagine-se que eu me ofendia com gente ignorante e militante de uma qualquer seita, que neste caso cheira a seita cristã, que pronuncia oximoros sem se dar conta. A Liberdade de Expressão não é uma coisa que se usa quando nos é favorável e "tem limtes" quando nos desagrada o que outro diz. Por exemplo a mim ofende-me que você negue a ciência e seja militante de uma seita que, estando recheada de pedófilos, detesta os homossexuais , mas estou disposto a morrer para defender o seu direito a pensar dessa maneira e a poder exorcizar os seus filhos num altar e chamar-lhe "baptismo".

Se o seu "Deus", alegadamente omnipresente e omnipotente, se ofende com desenhos e precisa de si para defender o seu "bom nome" convenhamos é uma merda de um Deus. Muito fraquinho.

E se para si não lhe chega que de acordo com esse conto de fadas absurdo em que você acredita - que envolve virgens grávidas e tudo- , eu vá para o inferno para toda a eternidade pelas "blasfémias" que profiro então isso quer dizer que você não acredita assim tanto nessa história da carochinha e quer resolver agora aquilo que sabe não se vai resolver depois, porque o seu Deus é afinal uma bela treta em que nem você acredita!


O meu Profeta é a Gravidade e ele diz-me que se você andar sobre a água afunda-se e se saltar de um 3 andar morre. Vai uma aposta?

De e soares a 23.01.2015 às 21:41

Liberdade de expressão ou liberdade de provocação ? O ch como jornal situava-se ao nível do pasquim fanfarrão que impulsionava o ego a 60 mil cretinos. Quando Gaza estava na mira dos sionistas e era bombardeada morreram 14 jornalistas que não puderam assim relatar ao mundo a barbárie que estava a ser cometida. Conhece alguma piada eusoucharlie sobre o facto ? Só mais esta para a liberdade: fez contas aos insultos dirigidos aos muçulmanos comparativamente às referencias a israel ? Não fez ? Então pense e não vá na onda, não se deixe arrastar emocionalmente e de maneira vergonhosa. Infelizmente a França é hoje um estado islamofóbico e sionista, onde quem manda na segurança é a mossad, na economia a alemanha e nas forças armadas a nato. Pobres franceses ...

De Andre a 26.01.2015 às 01:57

Liberdade de expressão e liberdade de provocação são exactamente a mesma coisa. Quem não entende isso não entende nada da democracia. liberdade de expressão é isso mesmo, É você poder dizer coisas que eu posso considerar entupidas ou ofensivas mas você ter o direito de as dizer na mesma, capiche?

Só um fanático troglodita se ofende com um desenho.

De Andre a 26.01.2015 às 01:59

E mais: o CH tem uma tiragem média de 3000 exemplares. A ignorância é uma benção.

De LG a 30.01.2015 às 11:52

E troçar/satirizar doenças, deficiências, raça ou orientação sexual, também cabe na liberdade de expressão/provocação?

Comentar post




Sitemeter



Comentários recentes

  • Zzzzz

    Qualquer comparação, equiparação, ao nazismo, abso...

  • Sérgio Lavos

    Concordo, devemos respeitar quem é diferente de nó...

  • Bruno

    Muito sinceramente, isto é tudo muito lindo, mas h...

  • alvaro silva

    Só vejo dores de cotovelo e premonições de catástr...

  • J P C

    Se é isso o que o meu comentário lhe faz lembrar, ...







«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.» Ortega y Gasset