Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



06
Fev

Funâmbulos e palhaços

por Sérgio Lavos

Sempre que nos sentirmos mais em baixo, por causa da crise ou por causa do Benfica, temos o Governo, que nos acode nestas horas de aflição. Como estamos a viver tempos de excepção, governados por pessoas a quem não compraríamos um carro nem que nos apontassem uma arma à cabeça, só nos resta irmos assistindo às incompetências, dislates ou improvisos que se vão sucedendo de forma imparável.

No fundo, somos um privilegiados. Mesmo sem um comediante do calibre de Relvas, o executivo consegue ir descobrindo novas formas de estimular as nossas glândulas do prazer. Basta apontar um nome ao calhas - pode ser, para o propósito deste texto, Nuno Crato, o ministro do rigor e da exigência - e encontraremos motivos para riso, escárnio e preocupação, desespero. É verdade que tem havido um meritório esforço de Crato a esquivar-se às balas surgidas depois dos cortes nas bolsas da FCT - e veio mesmo a calhar a polémica das praxes, que ele aproveitou que nem um afogado aproveita as derradeiras moléculas de oxigénio de uma botija -, mas nem com estas golfadas de ar terminal Crato consegue estar mais do que quarenta e oito horas afastado da linha da frente.

Só no dia de hoje, dois tiros no porta-aviões: os reitores queixam-se de uma promessa de financiamento de 30 milhões de euros que ele já veio negar ter feito, demonstrando à exaustão que a boa fé não é algo com que se possa contar quando falamos deste Governo. Por outro lado, os politécnicos já vieram dizer que recusam leccionar os cursos de dois anos aprovados, aproveitando o Conselho Coordenador para acusar o ministro de "desconhecimento da realidade do ensino superior".

Relembro que é este o ministro do rigor e da exigência, o que, de cada vez que se sente acossado, inventa um exame para entreter tolos. É este ministro que, algum tempo depois de ter posto em causa a qualidade dos cursos ministrados nos politécnicos, aprova uma espécie de formação fast-food, em nada diferente do que já existe no ensino secundário.  

É claro que já há muito tempo que o Governo labora em roda livre, e as pessoas sabem que nada lhes vai acontecer. Morando o seu porta-vez em Belém, o Governo não cairá nem que o país afunde - e nem os submarinos de Portas nos poderão salvar, se isto acontecer. Despreocupadamente, os ministros lá vão dando o seu pior, exemplos vivos de que o princípio de Peter não se aplica quando falamos de Passos Coelho e da sua trupe. É a desbunda total. Desfrutemos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


2 comentários

De M. G. P. Mendes a 07.02.2014 às 12:10

É MESMO ESTE DESABAFO QUE ME EVITA MAIS UM DIA DE ASFIXIA! EMBORA NÃO RESOLVA O PROBLEMA, PELO MENOS SINTO QUE NÃO ESTOU SÓZINHA, PORRA!

MAS, SE SOMOS MUITOS A SOFRER DESTE MODO, ENTÃO NÃO É POSSIVEL PORMOS ESTA CANBADA FORA DE JOGO?!?

É QUE A CONTINUARMOS ASSIM, O PAÍS UM DIA ACORDA E É A ANARQUIA DO MATA E ESFOLA A QUEM SE "APANHAR" NA RUA...ATENÇÃO QUE O POVO NÃO É TÃO SERENO COMO NOS TEMPOS EM QUE O OUTRO O DISSE...!

De A.R.A a 12.02.2014 às 19:21

M. G. P. Mendes

O mal é esse mesmo, minha cara! Andamos todos de desabafo em desabafo mas nada acontece e mesmo o que acontece é mais do mesmo:
- Governo desgoverna a seu belo prazer
- Oposição opõe-se na forma de se opor
- O povo desespera, emigra e ou se safa de calças na mão ou passa fome

Crato e seus semelhantes intra e supra fronteiras deverão ser catalogados como «hostis humani generis» e por consequencia e porque ainda não foi alterada a nossa Constituição, cada cidadão que tenha consciencia dos seus deveres e direitos de cidadania, deverá em consciencia fazer uso da sua Constituição. E não confunda os termos pois a Anarquia do mata e esfola nada tem a haver com o nosso Artigo 21º:

Artigo 21.º
Direito de resistência
Todos têm o direito de resistir a qualquer ordem que ofenda os seus direitos, liberdades e garantias e de repelir pela força qualquer agressão, quando não seja possível recorrer à autoridade pública.

Cumprimentos

A.R.A

Comentar post




Sitemeter



Comentários recentes

  • João Rosa

    Este post já tem algum tempo mas desde que se inic...

  • Zzzzz

    Qualquer comparação, equiparação, ao nazismo, abso...

  • Sérgio Lavos

    Concordo, devemos respeitar quem é diferente de nó...

  • Bruno

    Muito sinceramente, isto é tudo muito lindo, mas h...

  • alvaro silva

    Só vejo dores de cotovelo e premonições de catástr...







«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.» Ortega y Gasset