Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



22
Fev

"Em 2010, 2,3 milhões de famílias (48% do total) recebiam menos de 10 mil euros. Em 2012 eram já 3 milhões, 66% do total

Empobrecer, rapidamente e em força! Em apenas dois anos o total de famílias em Portugal que ganham menos de 10 mil euros brutos por ano disparou 33,1%. Em 2010, 2,28 milhões de famílias ganhavam menos de 715 euros brutos mensais - considerando 14 meses -, mas em 2012 eram já 3,04 milhões de agregados abaixo daquele limiar.

Segundo dados da Autoridade Tributária e do Orçamento do Cidadão (OC), esta semana divulgado, em 2010 foram entregues 4,71 milhões de declarações de rendimento em Portugal. Deste total, 48,4% declaravam menos de 10 mil euros brutos e 51,6% mais que aquele valor anual bruto."

Passos Coelho, no seu discurso de abertura do Congresso do PSD, não se cansou de repetir que Portugal está melhor agora do que há dois anos. Quem ainda vive em Portugal, quem emigrou, quem não habita um mundo paralelo alimentado a propaganda, sabe que quem afirma uma coisa destas está a insultar todos os portugueses - a esmagadora maioria - que ficaram mais pobres com as políticas do Governo. E se a realidade não for suficiente, todos os dias saem notícias que comprovam o estado de miséria sem esperança a que estamos a ser conduzidos. 
Esta é mais uma, bastante significativa: 750 mil famílias caíram para os escalões mais baixos do IRS - abaixo de 10000 euros anuais - em dois anos. E depois, Passos Coelho ainda teve a coragem de lamentar no discurso de ontem os 40% de portugueses que pagam IRS, insinuando que os outros 60% vivem às custas dos impostos de quem pode pagar. Nestes 60% estão todos os portugueses que perderam o emprego ou cujo rendimento foi tão reduzido que deixaram de pagar IRS. Os portugueses que empobreceram por causa das políticas de Passos Coelho. Sinceramente, a pulhice está a atingir níveis demasiado pestilentos. Inacreditável.

Autoria e outros dados (tags, etc)


15 comentários

De Joe Strummer a 22.02.2014 às 17:23


Indecente.

De Joe Strummer a 22.02.2014 às 21:02


Mas atenção, a canalhice da direita teve, e tem, as impressões digitais dos tarados do BE/PCP.
Convem não esquecer, por mais voltas que dêem ao texto, e por mais manifestações que façam.

De makarana a 22.02.2014 às 23:00

Tal como o PS fartou-se de recusar propostas do be e pcp,e aceitou muitas vindas da direita..E quem dançava o tango com Sócrates era Coelho...

De Joe Strummer a 23.02.2014 às 11:42

¿Qué ?

De makarana a 23.02.2014 às 13:28

Sim.Dizes que o BE e PCP deram a mão á direita.E eu respondo que quem deu a mão muitas vezes á direita foi o PS e qe o PS recusou propostas vindas do Be e PCP

De Anónimo a 23.02.2014 às 15:13

JOE STRUMMER

Hey, Joe! Where are you going with those guns in your hands?

Sim, porque a mim parece-me que uma pistola é pouco ... digamos, uma pistola por partido, só que ... lamento informar, que anda a dar tiros ao lado. Um "gunman" com miopia e ou estrábico é extremamente perigoso ... 95% das vezes acerta em transeuntes, 4,5% ao lado e 0,5% por sorte, lá consegue dar um tiro no pé.

Contudo, Joe, acho fantástico o seu "score" pois contra todas as probabilidades consegue sempre os tais 0,5% o que é demonstrativo o bastante que, no seu caso, sorte não é o melhor termo para caracterizar a sua pontaria.

Simples exercício de raciocínio basico: Veja quem viabilizou os PEC'S até ao IV; lembre-se de quem sempre foi contra os PEC´S (incluindo o IV); quem é que inviabilizou o PEC IV; o que fez o PS para contar com o PCP e o BE na feitura do PEC IV?

Should I draw you a picture?

A.R.A

De Joe Strummer a 23.02.2014 às 15:51


Ara, por mais q tente não consigo ter o raciocinio dum puto de 10 anos. Mas aqui vai:
O q é q tem a ver os Pec's com isto tudo? ( E por favor pensa pela tua cabeça isso parece um copy paste das teses do partido)
A única coisa q estva em questão era dar ou não dar o país de mão beijada à direita mais reaccionaria desde o 25 de Abril. E não o vosso umbigo ou a vossa logica interna alheada de qualquer interesse pelo bem comum. Era defender um programa menos mau para as pessoas com alguem q defendesse o interesse do país e não o interesse dos credores. A abstenção bastava.
Vocês sabem bem q não podem ganhar eleições e o unico fito foi poder ganhar votos à custa da miséria das pessoas. Oportunistas e canalhas, como sempre, alias.
Agora queixam-se do quê? Contribuiram (como sempre contribuirão, basta ver em muitas câmaras por esse país fora) para o triunfo da direita, o resto é converseta.

De Anónimo a 24.02.2014 às 14:55

JOE STRUMMAN

As minhas desculpas, porque afinal o Joe não é pistoleiro mas sim um verdadeiro extreminador implacavel. 2 pistolas apenas não fazem juz ao seu perfil de .... coiso!

Realmente dos 5 para os 10 anos (principalmente nos dias de hoje) é dificil estabelecer o mesmo tipo de raciocinio e a patacuada que o Joe se lembrou de partilhar tem o condal de fazer prova disso mesmo.

O que é que os PEC'S têm a ver com isto tudo? Pensar pela minha cabeça?

Bom ... já deu para perceber que o Joe pertence a "canalha" socrista com o seu ido "Maravilhoso Mundo Novo" que começou com o aeroporto de Beja ... cenas afins pelo meio ... acabando em Alcochete ... Freeport diz-lhe alguma coisa?
Adiante, essa canalha, de putos armados ao pingarelho, ouviu dizer que aos comunas deu-lhes para tapar os olhos e assinar de cruz no Marocas para que a Direita revanchista não ganhasse, ora, um desses "revanchistas" era o Freitas do Amaral e ... curiosamente, antigo ministro dos N.E de ... Socrates (coincidencias). Então "pensaram" que se iria dar o mesmo com os PEC'S que afinal não tinham nada a haver com isto, fantastico o seu raciocinio coincidente com a sua faixa etaria, devo acrescentar!
Mas ... nada mais errado, pois na altura de Cunhal e de Soares o PS ainda se pensava socialista, já no tempo do Socras o PS passou de punho a rosa, de socialista a 3ª Via, esvaziando o espaço politico do PSD com politicas de ... Direita. Portanto, triunfo da direita? Só pode ser uma piada ... mas que reinadio que voçe me saiu!

Ora, posto isto, o Joe que espuma de forma virulenta a favor de um programa menos mau contra quem a ele sempre se opos, tem o descaramento de falar em "interesse comum"?!

Já agora, sabe o que se passou com o Socras e o Teixeira dos Santos? Eram tãooooo amigos ...

Joe, voçe, afinal, é um danoninho ... cresça e apareça! Ah! E deixe-se de filmes de cat. B.

A.R.A

De makarana a 25.02.2014 às 20:06

Era defender um programa menos mau para as pessoas com alguem q defendesse o interesse do país e não o interesse dos credores. A abstenção bastava"
Menos mau porque?

De Júlio de Matos a 25.02.2014 às 14:32



E repara, Joe, que já nem manifestações conseguem fazer...

De A.R.A a 25.02.2014 às 15:22

JULIO DE MATOS

Quais? Manifs da UGT são ao pontapé, Julio! Olha ... Olha ... ah, não! Afinal, o Proença já não é sec. geral. Mas da maneira como ele gritava no final da coisa do PSD parecia que encabeçava uma ... especie de manif.

Mais uma perola de um xuxa!

A.R.A

De Luis Ferreira a 23.02.2014 às 19:01

É verdade, estamos melhor, se usarmos a lógica Salazarista que se mostrou uma vez mais, neste congresso do PSD (penso que o S passou a ser de Salazar).
Melhorámos, se desprezarmos todos aqueles que empobreceram, que ficaram sem emprego (cerca de 800mil ), os que tiveram de imigrar (quase todos jovens, o que vai ter impacto a médio prazo, na população), etc.
Podemos considerar esse todos como falhados.
Já dizia o Salazar que "Só devíamos chorar os mortos, quando os vivos o não mereciam)
Reparem como o Aguiar-Branco até já fala de vírus nacional aqueles que se opõem. Não há-de tardar a aparecer centros de contenção viral e policia correspondente. Antigamente chamavam-se presos políticos e pides.
Como já não temos Tarrafal, pode-se fazer um "centro de contenção viral " nas selvagens, sempre se pode dizer que são habitadas.
Pois é, temos o fascismo no seu melhor. Só que adaptado, como nova semântica , só que as ideias, são as mesmas.

De Júlio de Matos a 25.02.2014 às 14:35


Pois é. Estamos pior. E só pior? "Pior" é pouco...

Felizmente, valem-nos as palavras sábias de Francisco Louçã: "a queda de Sócrates é o primeiro passo para saírmos da crise".

Estamos pior do que em 2011? Inquestionável. Mas a culpa, essa, continua a ser do Sócrates. Certo, camaradas?

De A.R.A a 25.02.2014 às 15:17

JULIO DE MATOS

Se a culpa não é tambem do Socrates porque carga d'agua Teixeira dos Santos não foi "convidado" pelo Socrates para se explicar a troika?

Pois ... mais um comediante!

Este blogue é uma mina ... que nem os parodiantes de Lisboa!

Patilhas e Ventoinhas/ Joe e Julio.

Fantastico!

A.R.A

De Baltazar Correia Garção a 25.02.2014 às 15:38


Boa malha, Sérgio Lavos.

Passos Coelho e a sua corja não tem perdão!

Nem aqueles que, direta ou indiretamente, interesseira ou ingenuamente, lhe estenderam a passadeira vermelha para o Poder.

Diz-se na minha terra alentejana: «Tão ladrão é o que vai à horta, como o que fica à porta!».

Quem é que "ficou à porta" no fatídico dia 23 de Março de 2011 (entre outros), quem foi?

Porque a verdade é que, para muitos de nós, a pergunta-título "Estamos melhor ou pior do que em 2011?" é, mais do que inútil, já patética. E, como tal, muito menos importante do que outras, como sejam:

Estaríamos hoje melhor ou pior do que estamos, se o PEC 4 tivesse sido aprovado? (só podemos especular, infelizmente...)

Estaremos em 2015 (e seguintes?) melhor ou pior do que em 2014? (cá estaremos - ou não! - para ver...)

E por aí fora...

_________

PS: Leio os comentários impotentes do pobre "A. R. A" e não posso deixar de pensar como a Direita beneficia da persistência deste tipo de mentalidade à Esquerda...

Comentar post




Sitemeter



Comentários recentes

  • Jaime Santos

    Eu não entendi o comentário do Diogo Moreira nesse...

  • MRocha

    Se está na lei que devem ser públicas, cumpra-se a...

  • Jaime Santos

    Trump, além de mentiroso, é sobretudo um egomaníac...

  • Joe Strummer

    Pois, mas convem não deixar que noutro lado se ins...

  • Anónimo

    E estou eu contratado pelo estado à 16 anos.







«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.» Ortega y Gasset