Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Num país em que a classe média é proprietária de imóveis de valor patrimonial superior a 500 mil euros, o salário anual do novo presidente da CGD (423 mil euros) não deveria geral polémica. Infelizmente não vivemos nesse país. E como tal é natural que surjam críticas, que sobem de tom atendendo aos resultados recentes da gestão de topo e bem paga da banca portuguesa.

 

No entanto, ao contrário do que se tem ouvido, designadamente do PR, esta questão não deverá ser reduzida a público versus privado. A CGD é uma sociedade anónima de capitais exclusivamente públicos e rege-se pelas mesmas normas das empresas privadas do sector. Este caso deveria servir para se discutir por que razão nos últimos 40 anos disparou a diferença entre os salários dos CEOs e dos trabalhadores médios. Será legítimo que os CEOs das principais empresas americanas ganhem 331 vezes mais do que os trabalhadores médios e 774 vezes mais do que os trabalhadores que auferem o salário mínimo? Em Portugal a diferença é menor, mas ainda assim considerável: o salário dos CEO é 30 vezes o salário do trabalhador médio (superior à diferença que havia nos EUA até 1980). 

 

Captura de ecrã 2016-10-20, às 17.40.57.png

Neste tipo de situações costuma surgir o argumento de que a remuneração corresponde à elevada competência e especialização e que, caso não sejam pagos tais montantes, não será possível contratar os melhores gestores.

 

Ora, não se pretende, nem seria desejável, que a competência não se reflita em termos salariais. É natural que os gestores de topo de uma empresa tenham uma remuneração superior ao respectivo trabalhador médio. O problema é saber qual a diferença aceitável, sobretudo nos casos em que os gestores não são empreendedores que colocaram o seu próprio capital em risco. E caso se considere que deverá haver um tecto máximo, será que o Estado poderá ou deverá fazer algo nesse sentido? 

Autoria e outros dados (tags, etc)


9 comentários

De Kruzes Kanhoto a 20.10.2016 às 22:05

Isso do nascer não sei quantas vezes foi o JJ que disse, não foi?!

De Teo a 21.10.2016 às 14:28

Então tenho uma dúvida......se aumentarmos significativamente o ordenado do 1º ministro quer dizer que passamos a ter melhor pessoas a desempenhar o cargo? Se sim, aumente-se já, porque já vamos com decadas de deficit de qualidade destas personagens

De Daniel Silva a 22.10.2016 às 09:55

Sim, a tendencia é sempre a mesma. O aumento salarial de um determinado cargo/posição determina que com o passar dos anos mais e melhores pessoas se candidatem. Como em tudo em economia, essa tendencia nao é instantanea mas sim gradual ao longo de anos. Como essa e muitas outras acções sao graduais, nao sao aplicadas pois nao garantem votos. Daí muitas politicas terem efeito positivo instantaneo ( como o aumento do salario minimo = mais consumo = mais PIB ). O problema vem sempre mais tarde (gradual) pois o mercado ajustar-se-á aplicando inflação e perda de vendas nas empresas devido à perda de competividade o que determina despedimentos.

De Daniel Silva a 22.10.2016 às 10:15

Sim, a tendencia é sempre a mesma. O aumento salarial de um determinado cargo/posição determina que com o passar dos anos mais e melhores pessoas se candidatem. Como em tudo em economia, essa tendencia nao é instantanea mas sim gradual ao longo de anos. Como essa e muitas outras acções sao graduais, nao sao aplicadas pois nao garantem votos. Daí muitas politicas terem efeito positivo instantaneo ( como o aumento do salario minimo = mais consumo = mais PIB ). O problema vem sempre mais tarde (gradual) pois o mercado ajustar-se-á aplicando inflação e perda de vendas nas empresas devido à perda de competividade o que determina despedimentos.

De Joe Strummer a 21.10.2016 às 16:30

https://www.theguardian.com/business/2016/oct/20/alan-greenspan-cult-of-expert-and-how-it-collapsed

De Anónimo a 21.10.2016 às 17:05

Hoje em dia os idiotas estão cheios de certezas!! os seres humanos inteligentes, procuram resposta e tem duvidas! também assim é fácil, o povo é chamado para repor a "competência"

De Alice a 21.10.2016 às 17:06

Hoje em dia os idiotas estão cheios de certezas!! os seres humanos inteligentes, procuram resposta e tem duvidas! também assim é fácil, o povo é chamado para repor a "competência"

De Alice a 21.10.2016 às 17:10

Hoje em dia os idiotas estão cheios de certezas!! os seres humanos inteligentes, procuram resposta e tem duvidas! também assim é fácil, o povo é chamado para repor a "competência" quando são incompetentes.

De Quico a 21.10.2016 às 18:08

Em vez do Estado impor tectos salariais, porque não impor diferenças máximas de salário dentro das empresas?
Se, por exemplo, essa diferença fosse limitada a 20 vezes, quem tivesse trabalhadores a receber o salário mínimo (500€) não podia nessa empresa ninguém receber mais de 10 mil euros, ou se quisessem pagar a alguém um salário de 423 mil anuais, não podia haver ninguém a receber menos de 1.762,50€ mensais.

Comentar post




Sitemeter



Comentários recentes

  • MRocha

    Se está na lei que devem ser públicas, cumpra-se a...

  • Jaime Santos

    Trump, além de mentiroso, é sobretudo um egomaníac...

  • Joe Strummer

    Pois, mas convem não deixar que noutro lado se ins...

  • Anónimo

    E estou eu contratado pelo estado à 16 anos.

  • Daniel Silva

    Sim, a tendencia é sempre a mesma. O aumento salar...







«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.» Ortega y Gasset