Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



03
Mar

Drumpf

por CRG

Num post retirado do baú:

 

"Na comparação entre "1984" e o "Admirável Mundo Novo" Neil Postman refere que enquanto Orwell temia a censura, Huxley temia que nos fosse dada tanta informação que seriamos reduzidos à passividade e egoísmo, que a verdade fosse afogada num mar de irrelevância.

 

Passados 75 anos da publicação da obra de Huxley, David Foster Wallace, com a sua habitual genialidade, cunhou o termo "Ruído Total" (Total Noise) para descrever o tsunami de informação, spin, retórica e contexto que nos invade diariamente - que não só dispersa a nossa atenção, mas também torna impossível distinguir o que é relevante e de valor.

 

No meio desta avalanche as únicas noticias/opiniões capazes de se elevar do mar de irrelevância são as mais chocantes e esdrúxulas."

 

Trump parece ser o culminar deste fenómeno descrito por DFW. Com efeito, ele é o candidato que através da sua capacidade de chocar, de criar polémica e de entreter domina a atenção dos media sedentos de audiências.

 

chart-2.jpeg

 

Esta atenção desproporcional face aos restantes candidatos reforça o poder da candidatura de Trump, que por sua vez lhe confere mais cobertura noticiosa - um ciclo vicioso. Este poder da imagem assente em discursos simples reduzidos à formula "eu sou o melhor" nas suas mais diversas variantes apela a eleitores cansados de tanto ruído, de tantos anos de falsas promessas. É este elemento, mais do que as suas ideias ou ideais, que, conforme tão bem exposto pelo John Oliver são capazes de oscilar no próprio dia, o tem catapultado para a liderança. E esse talvez seja o único ponto positivo desta história: a maior parte das coisas hediondas que diz e defende não são para levar a sério e, espero eu, nunca as tentará levar à prática caso seja eleito. Por outro lado, é assustador que se desconheça quais são as ideias do principal candidato republicano à Casa Branca. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


4 comentários

De Anónimo a 03.03.2016 às 13:49


E isso mesmo. No entanto o allure de Trump não se esgota no aproveitamento da linguagem hiperbólica de Super Herói da Marvel e moral inerente, para furar o mundo flat criado pelos mass media.
Ha ali muito de Gatsby.
“You always look so cool"

Com tantas comparações entre Trump e Hitler tenho-me lembrado da hipótese de Philip Roth em "Conspiração contra a América" em que o Lindbergh ganha as eleições a Roosevelt e o pais torna-se um estado fascista. Inverosímil. Hillary não tem nada a ver com Roosevelt :)

De CRG a 03.03.2016 às 15:05

Obrigado.
Também pensei nessa obra, mas nesta também https://pt.wikipedia.org/wiki/It_Can%27t_Happen_Here

De Joe Strummer a 03.03.2016 às 15:30

Esse não li. Dele so o Babbit.

Já agora um retrato da maioria silenciosa

http://www.theguardian.com/us-news/2016/mar/03/secret-donald-trump-voters-speak-out

De Carlos a 03.03.2016 às 15:20

Eu também sou o melhor ....

http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT80258

Comentar post




Sitemeter



Comentários recentes

  • MRocha

    Se está na lei que devem ser públicas, cumpra-se a...

  • Jaime Santos

    Trump, além de mentiroso, é sobretudo um egomaníac...

  • Joe Strummer

    Pois, mas convem não deixar que noutro lado se ins...

  • Anónimo

    E estou eu contratado pelo estado à 16 anos.

  • Daniel Silva

    Sim, a tendencia é sempre a mesma. O aumento salar...







«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.» Ortega y Gasset