Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



04
Fev

Se há tópico onde entendo perfeitamente a dramatização é em política. Está em causa a vida das pessoas, o rendimento, o bem-estar das populações. Se não se dramatizar a possibilidade de conferir uma vida melhor a milhares ou milhões de pessoas vai dramatizar-se o quê?

 

Esta notícia (que aliás se soma a esta) sobre a redução na atribuição de prestações sociais merece toda a revolta que se consiga colocar num discurso político. Merece uma voz embargada. Merece palavras atiradas como pedras. Merece que nos socorramos de todos os archotes e forquilhas retóricos a que consigamos deitar mão. Merece acusações.

 

Merece a acusação de estar o Governo a retirar verbas a prestações sociais sujeitas a condição de recursos - argumento a que este executivo parecia ser tão sensível.

 

Merece este Governo a acusação de privar estas 49+19 = 68 mil pessoas, possivelmente 68 mil famílias, de um rendimento crucial para as tirar da mais completa pobreza. Merece este Governo a acusação de encetar uma guerra de classes mas ao contrário. Uma espécie de ódio ao pobres responsabilizando-os pela sua pobreza atirando-os para a indignidade das medidas assistencialistas. 

 

Merece este Governo a acusação de querer lançar a classe média contra as classes mais pobres. Merece este Governo a acusação de restringir seriamente o acesso a dois dos instrumentos mais eficazes na redução da severidade da pobreza. Merece este Governo que empreguemos todas as forças que tenhamos, todas as forças que consigamos arregimentar, para forçar a sua demissão. Com urgência.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:




Sitemeter



Comentários recentes

  • Jaime Santos

    Eu não entendi o comentário do Diogo Moreira nesse...

  • MRocha

    Se está na lei que devem ser públicas, cumpra-se a...

  • Jaime Santos

    Trump, além de mentiroso, é sobretudo um egomaníac...

  • Joe Strummer

    Pois, mas convem não deixar que noutro lado se ins...

  • Anónimo

    E estou eu contratado pelo estado à 16 anos.







«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.» Ortega y Gasset