Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Crianças saúdam o Chefe de Estado da Nação

Quando pensamos que batemos no fundo, descobrimos que continuamos a cair.

 

(Imagem via Twitter do Pedro Sales)

Autoria e outros dados (tags, etc)


5 comentários

De Anónimo a 02.06.2015 às 14:06

Declaração de interesses:
sou de esquerda, penso que seja socialista marxista ( tendência gramsciana) e voto PS, mas caros amigos a verdade e só a verdade é revolucionaria .Este fotograma é indecente porque retirado do contexto. Quem fez o serviço militar ( como eu fiz e colaborei ativamente no 25 de abril), sabe qual o protocolo para a saudação militar ( vulgo continência) , sou capaz de afirmar como o outro, estudem....Aliás basta ver o movimento do braço direito do militar da marinha, Assim , caros amigos não vamos a lado nenhum,,,,,,Saudações revolucionárias.


p.s. por causas das coisa, escrevo em todos os AO existente e não existentes e os que hão-de vir.

De Neves, AJ a 02.06.2015 às 20:51

Onde poderei conseguir o vídeo?

De Anónimo a 03.06.2015 às 12:34



http://www.tvi.iol.pt/programa/jornal-da-uma/53c6b2633004dc00624392e1/videos/--/videos--juma/video/556c658d0cf2246ee9d304e3/1

De António Neves a 04.06.2015 às 03:34

Obrigado pelo "link"... [começa em 1:07:15] não vi nenhuma "saudação à moda antiga",,, notícia tipo "Correio da Manhã", sensacionalista sem conteúdo, oportunista a querer fazer sangue, a manipular a mente.

De Jorge Nicolau a 04.06.2015 às 21:25

É bom saber que a Presidência da República ensina as crianças a fazerem bem a continência. Risível.

Comentar post




Sitemeter



Comentários recentes

  • MRocha

    Se está na lei que devem ser públicas, cumpra-se a...

  • Jaime Santos

    Trump, além de mentiroso, é sobretudo um egomaníac...

  • Joe Strummer

    Pois, mas convem não deixar que noutro lado se ins...

  • Anónimo

    E estou eu contratado pelo estado à 16 anos.

  • Daniel Silva

    Sim, a tendencia é sempre a mesma. O aumento salar...







«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.» Ortega y Gasset