Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



02
Dez

Avantajices

por David Crisóstomo

Em relação ao alegado e-mail que o professor Marcelo serenou à Judite numa noite de domingo em Queluz de Baixo, duas coisas:

 

  • Marcelo diz que o tal do mail foi para ele e para o "portal do Governo, para Passos Coelho", ficando uma pessoa a pensar que Marcelo acredita que são a mesma coisa; diz ainda que a autora do mail, que alega ter visto tudo e mais um par de botas nos computadores dos deputados, é uma "adolescente de 16 anos, do 11º ano, da escola secundária Alves Redol de Vila Franca de Xira", que "foi com a sua turma no dia 20 de Novembro à Assembleia da República, esteve na Galeria 3 e no debate do Orçamento de Estado o que é que ela viu foi o seguinte:" nada de nada, arrisco eu. É que no passado dia 20 de Novembro não consta que tenha havido nenhuma turma de escola alguma de Vila Franca de Xira a assistir ao plenário na Assembleia da República, como é verificável no site do parlamento. Nem no dia 20 de Novembro, nem em qualquer outro dia em que o Orçamento de Estado tenha sido discutido em plenário (30 e 31 de Outubro, na generalidade, e 20, 21, 24 e 25 de Novembro, na especialidade). O Marcelo já fazia um pouquinho de fact-checking antes de ler imbecilidades em horário nobre, se não for muito incómodo.

    30 de outubro.pngalves redol.png

     

  • Sobre o que de facto constituiu o trabalho parlamentar e análise que é dele feita pela maioria da população, faço minhas as palavras do Miguel Vale de Almeida:

"Quantas vezes é preciso dizer que as sessões plenárias no parlamento são a parte menor do trabalho de deputado/a? Que as pessoas são perfeitamente capazes de, ao mesmo tempo, consultar mails, sites da net, etc? Que não há nada de intrinsecamente indecoroso em estar online? Que as discussões em plenário não são abertas a todos/as os/as deputado/as, mas sim restritas a quem já está previamente decidido que vai falar? Que a democracia que queremos não tem de ser uma performance do século XIX? Que o trabalho dos deputados/as que efetivamente queiram cumprir a sua função se faz no estudo dos dossiês que tenham em mãos e nas comissões? Que este trabalho pode ser escrutinado (TV do Parlamento, site do parlamento, contacto direto com as/os deputadas/os, etc)? Que o eventual comportamento impróprio ou a eventual impreparação de alguns/algumas não significa que todos/as sejam assim? Que a coisa mais avantajada que temos é a estupidez e a demagogia, para mais quando um político que finge não o ser lhes serve de altifalante?"

 

 

 

 

Adenda1: fui avisado que não é de descartar que tenha existido mesmo uma assistência ao plenário sem marcação por parte duma turma da escola Alves Redol - claro, é possível, incomum mas possível (tal como é possivel que a rapariga tenha lá ido sem nenhum professor e simplesmente acompanhada de uns colegas - ainda mais improvável, mas, todavia, plausível). E como escrevi num comentário abaixo, se for publicada uma noticia ou algo que prove que houve de facto uma turma daquela escola a assistir ao plenário no dia 20 de Novembro, eu aqui partilharei, dado que não tenho qualquer interesse em desacreditar alunas do 11º ano da escola secundária Alves Redol. Reparem que isto é um blogue, não é (ainda, bem sei, pra lá caminhamos) um órgão de comunicação social regulado pela ERC e eu não sou um comentador regular em prime-time no 2º canal mais visto da televisão portuguesa - sou apenas um tipo com um teclado e um computador. Não tenho nem tempo nem meios para fazer o trabalho jornalístico exigente e minucioso que um potencial desmentido na comunicação social exigiria - isto é, não apenas a consulta do site da AR que demorou dois minutos, mas também um telefonema e uma ida à escola em questão, uma conversa com um professor ou dois e mais uns alunos, tomar umas notas e verificar com os seguranças e funcionários da portaria do parlamento. Um comentador domingueiro na TVI podia (devia) ter feito algo deste género antes de difamar publicamente os deputados da Assembleia da República com base num alegado "mail". Tal como um certo jornal e um certo jornalista também o podiam (deviam) ter feito. Ambos optaram por não se dar ao trabalho, estão no seu direito, preferiram ler e (descaradamente) copiar o que viram noutros sítios, respectivamente. É lá com eles. E connosco, que a pouco e pouco nos vamos habituando a toda esta calaçaria.

 

Adenda2: Conforme já tinha sido alertado por amigos jornalistas, parece que se verifica que houve de facto uma visita duma turma da escola secundária Alves Redol, que não foi todavia registada nos serviços da Assembleia da República (obrigado RT). Talvez o senhor jornalista do Observador (e os do Jornal de Noticias e do Correio da Manhã, já agora) também queira copiar esta informação. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


20 comentários

De António Marques a 02.12.2014 às 15:38

Com todo o respeito, quantas vezes o site do Parlamento está errado, até mesmo em relação aos debates que vão acontecer, quanto mais a quem está a assistir nas galerias? Não vale pedir rigor a Marcelo e depois descurar o rigor só porque serve o nosso propósito.

Cumprimentos.

De David Crisóstomo a 02.12.2014 às 15:44

Entre um "mail" que Marcelo Rebelo de Sousa alega que recebeu e o site oficial da Assembleia da República, se não se importa eu dou mais crédito a este último. Claro que se me provar que a informação disponibilizada online está errada ou incompleta, deixo aqui a adenda.

De The Next Prime Minister a 02.12.2014 às 15:46

"Quantas vezes é preciso dizer que as sessões plenárias no parlamento são a parte menor do trabalho de deputado/a?"

Qual é então o trabalho efectivo de um deputado/a?

De David Crisóstomo a 02.12.2014 às 16:02

é o de elaborar projetos de lei, fazer relatórios, emendar propostas em sede de comissão parlamentar, votar diplomas e propostas de alteração nas comissões a que pertencerem, responder a pedidos e perguntas dos eleitores, participar em sessões de esclarecimento sobre os diplomas que se encontrão em discussão, elaborar perguntas e pedidos de esclarecimento ao governo e a figuras que estejam em audição no parlamento, informar a imprensa de que propostas estão a ser debatidas e que propostas serão apresentadas, participar em fóruns internacionais interparlamentares, representar a AR em assembleias parlamentares, como o Conselho da Europa ou a da OCDE, alterar legislação que necessite de ser atualizada, inquirir ministros e secretários de estado sobre de que forma pretendem atuar em determinados assuntos ou por que motivo ainda não atuaram, pedir justificações ao membros de governo e outros oficiais do estado por uma determinada atuação, redigir moções que recomendem ao governo para legisle duma determinada forma, ser membro de comissões de inquérito que procurem averiguar um determinado caso ou situação, ouvir e responder a petições que tenham sido dirigidas à AR, participar em sub-comissões grupos de trabalho específicos sobre uma determinada matéria legislativa, elaborando relatórios para o efeito, elaborar pareceres sobre um determinado diploma em discussão, elaborar projetos de resolução sobre determinadas matérias, conceder audiências a entidades ou cidadãos que os queiram abordar, etc etc.

De The Next Prime Minister a 02.12.2014 às 16:39

Gostei da teoria.... Mas agora a sério e na prática, o que fazem realmente os nossos deputados?

De Tiago Cabral a 02.12.2014 às 17:20

Se não queria saber a resposta porque perguntou?

De The Next Prime Minister a 02.12.2014 às 18:06

Mas eu quero saber a resposta, mas como sou uma pessoa rude e humilde do campo, gostaria que me explicassem sem palavras bonitas e caras que só políticos percebem, bem como gostaria que me explicassem a realidade, não o que vem escrito nos livros...

Exemplo:

A Teoria de Relatividade de Einstein é muito simples de entender (posso-lhe explicar facilmente se quiser), mas prová-la na prática? Já não é assim tão fácil, apesar de possível....

Passando para a realidade da nossa assembleia:

Em teoria, os nossos deputados eleitos, estão ali para trabalhar prol e defender os direitos do povo português, através de todas as funções bonitas que o Sr. David mencionou, na prática e aos olhos dos comuns dos mortais (pessoas sem amizades e favores partidários) estão ali a passar o tempo e a comer dos nossos bolsos....

Por isso volto a perguntar, na prática /realidade o que fazem os nossos deputados?

De A. Moura Pinto a 02.12.2014 às 20:58

Não quer ir até ao Canal Parlamento onde tem arquivo das sessões plenárias e das reuniões das mais variadas comissões parlamentares? Claro que isso dá trabalho, mas para quem é curioso, isso não será de mais. E isto para falar apenas do trabalho intra muros...
PS. Antes que lhe ocorra: não sou deputado, nunca fui nem ando lá perto.

De The Next Prime Minister a 02.12.2014 às 22:18

Visto ninguém saber o querer responder, fiz uma pesquisa google sobre o que faz um deputado e apareceram-me algumas coisas engraçadas.

Palavra dos deputados "faz fé" para justificar faltas
http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1192180


Que Faz um deputado? (Penso ser de cariz político, não sou contra jovens deputados, sou a favor de gente honesta e competente)
http://cp-cromosdeportugal.blogspot.com/2014/01/que-faz-um-deputado.html

Deputados europeus portugueses "são bon vivants" - Rachida Dati
http://expresso.sapo.pt/deputados-europeus-portugueses-sao-ibon-vivantsi=f681427

PSD e PS juntam-se para repor subvenções vitalícias a políticos, mas plenário pode mudar votação
http://www.publico.pt/politica/noticia/deputados-passam-ao-lado-da-proposta-que-repoe-subvencoes-vitalicias-a-expoliticos-1676907

Parlamento tem sido "centro de corrupção" em Portugal
http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1882724

Falta de quórum impede votações na Assembleia da República
Gosto particularmente desta afirmação - "Dois dos deputados estão fora, em representação do Parlamento, os outros dois deputados estiveram aqui na Assembleia da República e assinaram a folha de presença, mas tiveram de sair pouco tempo antes das votações devido a trabalho político"
http://www.publico.pt/politica/noticia/falta-de-quorum-impede-votacoes-na-assembleia-da-republica-1253784

Resumindo, sem ser os resultados dos sites do parlamento, governo, etc, so aparecem boas noticias dos nossos grande deputados...

Para continuar com a efectividade de hoje em dia, aumentando a eficiência, é simples...Reduz-se o número de deputados a 1 por partido, tendo cada ele um voto em função do valor percentual do seu partido em assembleia. Poupava-se dinheiro e era tudo mais prático...Além, que em vez de 230 a encher os bolsos eram só meia dúzia.

De Tiago Cabral a 03.12.2014 às 08:54

Mas porquê então um deputado por partido?? Iriam fazer mais que os outros? O melhor mesmo é acabar com isto da representação parlamentar, só estorva.

De A. Moura Pinto a 03.12.2014 às 10:21

Era minha convicção estar perante alguém sério, talvez inteligente, um pouco que fosse.
Nesta época do ano os circos já estão por aí, e prefiro-o a esta parvalhice sem jeito, a estas idiotices, disfarçadamente assumidas, como é próprio de valentes cobardes.

De Malic a 03.12.2014 às 12:53

the Next Prime Minister , assim não vai lá. Não estuda, não percebe, não quer entender...quer apenas fazer demagogia barata, daquela que se faz num taxi à hora de ponta, com a novidade de lhe misturar uma ironia nada fina e bastante rebuscada.
Para ocupar o cargo a que tanto anseia sugiro mais uns aninhos de estudo, alguns módulos educativos de civismo e respeito pelos outros, e um regresso à escola para aprender os fundamentos da democracia.
Depois então pegue o megafone e berre que quer ser o next prime minister à vontade.

Por outro lado...temos um imbecil do mesmo calibre como Prime Minister actual...
Esqueça lá o que eu disse, com o seu nivel de boçalidade, é bem capaz de ter hipóteses.

De The Next Prime Minister a 03.12.2014 às 17:35

Estimados,

Infelizmente ser inteligente ou honesto, não ser pre requisitos para ser primeiro-ministro ou ter assente parlamentar, os pre -requisitos são, como diz o Senhor Marinho e Pinho (não sou seu fã) ter carreira política, ser de um partido e engraxar muitas botas para que no futuro seja alguém a engraxar as suas... são favores pagos com favores...

Não tenciono ser primeiro ministro, porque se o fosse, seria honesto e sendo honesto o ordenado não seria tão bom quanto ao que tenho hoje....mesmo assim se almejasse essa posição também não seria fácil, visto não pertencer a nenhum partido nem concordar com as ideias de qualquer um. Quando voto, voto consoante a minha percepção actual sobre quem penso ser melhor, não voto porque sou do PCP, do BE , do CDS, do PSD ou do PS. Eu sou do Benfica.

Em relação a um deputado por partido, claro que é um radicalismo, mas muito sinceramente penso que a diferença de resultados iria ser pouca ou nenhuma, posso estar enganado, mas é a minha percepção e a percepção de grande parte dos portugueses. 99,99% dos Portugueses são leigos em termos políticos, logo, gostaríamos de perceber Política em moldes simples e sem rodeios, algo que não acontece.

A descrença dos Portugueses nos seus políticos é tão grande que chegamos a ter opiniões como as da seguinte sondagem, onde os Portugueses acreditam mais na honestidade dos políticos do antigo regime do que nas dos políticos de actualmente.
http:/ www.ionline.pt /artigos portugal /sondagem-ipitagorica-portugueses-acham politicos -da-ditadura-mais-honestos-os

Resumindo, não existe crença nos políticos do dia a dia, desde a extrema esquerda até á extrema direita. Mais uma vez, pergunto e modificando as palavras, Politicamente os deputados têm muitas funções alocadas, mas aos olhos dos portugueses quais as funções actuais dos nossos deputados?

De Joãp Pimenta a 03.12.2014 às 20:26

Já o próximo primeiro ministro não faz mesmo nada além de andar a comentar blogues na internet, Se calhar pago pelo OE.

De The Next Prime Minister a 04.12.2014 às 15:34

"Because of political blindness, we're prevented from thinking progress is possible" - Azouz Begag

De Perplexo a 02.12.2014 às 16:51

Acho extraordinário esta propensão para transformar um fait divers numa questão de Estado!
A história tem piada; se a miúda existe ou não, tanto faz, se o dia e hora, escola, etc estão exactos, ainda menos. Já vimos incontáveis fotografias dos computadores na AR com jogos de tetris, facebook, etc. Não significa que os deputados não estejam a trabalhar; apenas que naquele momento se trata de um assunto que não lhes interessa, o que é normal no dia de trabalho de qualquer pessoa.
A tentativa de justificar, com provas "forenses" que a história do Marcelo é inverosímil, é ainda mais parva do que a história do Marcelo.
PS - "Mulheres avantajadas" é muito engraçado!

De RT a 04.12.2014 às 00:15

Caro David Crisóstomo,

Aqui tem a prova da visita:

https://scontent-a-mad.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/t31.0-8/1780199_992336540783272_2586955177231049944_o.jpg

Sim, bem sei que há investigações mais fáceis de se fazerem que outras e esta é como procurar uma agulha num palheiro. A mim, para lá de, por conhecer a Sofia, imaginar que podia bem ter sido ela, calhou-me hoje, por mero acaso, ver uma peça jornalística na CM TV.

Excelente aluna e jovem empenhada na defesa de uma cidadania exemplar. Não estranharia se dentro de uns anos a encontrarmos sentada em frente a um desses tais monitores...

De David Crisóstomo a 04.12.2014 às 12:31

Vou acrescentar, obrigado.
Não duvido, preferia era que um professor de direito, que tem o dever de saber o que é o real trabalho da Assembleia da República, não disseminasse a informação do e-mail da Sofia. Não digo que ela falsa, digo sim que leva a conclusões precipitadas, incompletas e difamatórias, compreensíveis numa estudante de 16 anos, inadmissíveis num professor catedrático de 66 anos.

De Nuno Duarte a 05.12.2014 às 09:41

Porque não são bloqueados certos sites nos sistemas da Assembleia? Não me digam, que iria ser aplidade de uma medida fascista?

De uma vez por toda, os deputados que estão sentadas no Parlamento, que "supostamente" foram escolhidas pelo Povo, tem de fazer a sua função. Representar e defender os interesses do Povo. Se querem defender os seus próprios interesses e dos seus amigos, façam-se à vida.

Mesmo que hipotéticamente não tenha estado uma aluna de Vila Franca de Xira, estas situações acontecem. Vejam o video de um deputado do PS, o mesmo José Lello que queria aprovar as Subvenções Vitalícias aos antigos deputados, queria que a Assembleia, não permiti-se que os fotografos não registassem imagens dos seus pc´s. Mas teve uma boa resposta do Presidente da Assembleia.

https://scontent-a-mad.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/t31.0-8/1780199_992336540783272_2586955177231049944_o.jpg

Isto é defender os interesses do Povo ou os seus próprios interesses?...

De Nuno Duarte a 05.12.2014 às 09:44

No poste anterior o link para o video era este:https://www.youtube.com/watch?v=Q9n7vpl3AvA

Comentar post




Sitemeter



Comentários recentes

  • João Rosa

    Este post já tem algum tempo mas desde que se inic...

  • Zzzzz

    Qualquer comparação, equiparação, ao nazismo, abso...

  • Sérgio Lavos

    Concordo, devemos respeitar quem é diferente de nó...

  • Bruno

    Muito sinceramente, isto é tudo muito lindo, mas h...

  • alvaro silva

    Só vejo dores de cotovelo e premonições de catástr...







«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.» Ortega y Gasset