Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



25
Nov

Até que enfim!

por Pedro Figueiredo

Estava difícil. Finalmente há um governo que reflecte a escolha da maioria dos portugueses. A nova distribuição parlamentar determinada pelas eleições de 4 de Outubro finalmente viu expressa a sua vontade no órgão executivo competente. A coligação de direita, apesar de ter sido o bloco mais votado, perdeu a maioria que lhe permitiu (des)governar nos últimos quatro anos. Nem sequer se trata da questão do "vencedor" ter perdido e de ter vencido o "derrotado", imagem que também não é tão descabida como querem fazer crer. A democracia representativa determina o equilíbrio de forças político-partidárias e este parece estar bem claro na Assembleia da República.

O que a coligação PSD/CDS e os seus apoiantes (incluindo o PR) nunca esperariam era que houvesse um entendimento à esquerda. Mas houve. E é precisamente neste ponto que se devem centrar as atenções. Onde muitos procuram ver uma traição ao eleitorado (cada partido responderá a seu tempo pelas escolhas feitas, ainda que depois das eleições), há quem veja um acordo histórico. Onde muitos vêem submissão, ou simpatias, a "extremistas" e "radicais", há quem encontre diferenças relegadas para segundo plano, em nome de uma solução que não desrespeite a Constituição e, consequentemente, os cidadãos. O artigo 1.º diz com toda a clareza que "Portugal é uma República soberana, baseada na dignidade da pessoa humana e na vontade popular (...)". Sublinhe-se: dignidade da pessoa. Vontade popular.

O foco está no entendimento porque é precisamente por sua causa que o xadrez político se viu alterado para uma realidade até então nunca vista. Como escreveu Bernard Shaw, "You see things; and you say 'Why?' But I dream things that never were; and I say 'Why not?'" Quebraram-se tradições. Não por manobras de sobrevivência política e muito menos por falta de legitimidade democrática. Apenas pelo superior interesse de quem mais precisa de ser defendido. 

O PS não está menos dependente do PCP e do BE do que estava o PSD do CDS na última legislatura. São, aliás, interdependências naturais de quem governa com indispensável apoio parlamentar. Sempre revogável, que não se tenha ilusões. O XXI Governo, que daqui por horas tomará posse, poderá ser apenas constituído pelo PS, mas terá sempre o aval do resto da esquerda parlamentar. Jerónimo Sousa poderá dizer, e bem, que o primeiro objectivo do entendimento seria tirar a direita do governo. No entanto, não se esquecerá certamente que promover ou contribuir para a uma queda prematura, antes do final da legislatura, significará colocar de novo a direita no poder. Novamente com maioria. Como, de resto, já se vaticina. Independentemente das diferenças que possam ter, cabe-lhes provar exactamente o contrário. A consciência das fragilidades poderá ser a força que os manterá unidos no essencial. O sucesso nos próximos quatros anos depende de todos na esquerda. É uma oportunidade que ninguém poderá dar-se ao luxo de desperdiçar. Há muito a perder. Sobretudo o país.

"O grande desafio começa agora", afirmou, com razão, Catarina Martins. Há um longo caminho pela frente, sem messias ou salvadores em cena. Ainda assim, há uma garantia que antes claramente não havia: o respeito pela Constituição. Pelos portugueses.

Autoria e outros dados (tags, etc)


30 comentários

De Carlos a 26.11.2015 às 06:41

Bom dia ;
Se a vontade popular fosse dar ao país um governo PS ou de esquerda, tinham-lhes dado a vitória nas urnas.Quem apoia esta solução governativa continua a andar à volta da rotunda em explicações,tivesse a coligação adoptado e apresentado na assembleia o programa eleitoral do PS tería sido derrubada na mesma.Não sendo ilegítimo o governo que tomará posse hoje , não deixa de ser evidente que só existe por força das circunstâncias que inibem o PR de convocar novo acto eleitoral, é puro oportunismo político de quem tinha a carreira condenada ao eclipse
A constitucionalidade dos diplomas governamentais depende sempre dos que têm acento no palácio Raton , em várias ocasiões outros constitucionalistas discordaram das decisões e das justificações dadas nas declarações de incostitucionalidade,presume-se que os governos devem ter apoio jurídico e constitucional na elaboração das leis.A dignidade da pessoa, abrange todas as pessoas, incluindo as que elegeram o governo derrubado e incluindo as que elegeram o PR em funções e que não se revêem na solução governativa encontrada.A euforia da esquerda é grande, o foguetório é muito, os insultos abundam, mas tal como aconteceu na Grécia, há-de chegar o dia em que vai ser preciso começar a governar.Boa sorte a todos.

De Teodoro a 26.11.2015 às 10:52

Acho engraçada esta teoria de que se houvesse novas eleições e "culigação" ganhava " de certeza absoluta"com maioria....é só engraçada mais nada!

De carlos a 26.11.2015 às 11:35

E leu isso onde ?

De Jorge a 26.11.2015 às 11:36

"Não sendo ilegítimo o governo que tomará posse hoje , não deixa de ser evidente que só existe por força das circunstâncias que inibem o PR de convocar novo acto eleitoral" - O PR foi alertado para que deveria antecipar o ato eleitoral para que esta situação não passasse mas como quis ser mais direitista que o Passos, aguentou o governo anterior até ao último suspiro.

E eu todos os portugueses e estrangeiros que tivemos o poder do voto na mão em 4 de outubro votamos para um Parlamento e não para um Primeiro Ministro.... Mais se confirma o que digo que em nenhum Outdoor do PàF se vê a cara de Passos Coelho!!!!!

Votamos para 230 parlamentares que decidiram dar o poder da governação a Antonio Costa e não aos PàF! Pode dar as voltas à rotunda que quiser mas a verdade é inalterável.

De carlos a 26.11.2015 às 11:39

É isso mesmo, as campanhas eleitorais dos partidos é que nos induzem em erro, dizem-se candidatos a primeiro ministro e afinal são candidatos a deputados.Fiquei esclarecido.

De Makiavel a 26.11.2015 às 12:49

"[este governo] não deixa de ser evidente que só existe por força das circunstâncias que inibem o PR de convocar novo acto eleitoral"
Dois comentários:
1. Caso os resultados não agradem ao PR, se pudesse, convocava o número de eleições necessárias até que o resultado agradasse. Seria essa a solução defendida pela PàF, ao ponto ridículo de Passos Coelho propor uma revisão constitucional ad-hoc.
2. A impossibilidade de convocar eleições é dupla: o PR não pode porque está em fim de mandato e porque não se pode dissolver a AR nos primeiros 6 meses após as eleições, como forma de respeitar a vontade expressa nas eleições. E a vontade expressa nestas últimas foi recusar a continuação da PàF a governar. Quanto mais depressa o PSD entender isto, mais hipóteses tem de regressar ao poder. Pelo que vejo, com os personagens actuais que o dirigem (já nem falo do parceiro de coligação) acho que vão continuar com o discurso aziado-ressabiado. E se mantiver a aliança com o PP, então esqueçam mesmo um regresso ao governo.

De carlos a 26.11.2015 às 14:25

Desculpe que lhe diga mas está a ser demagogo.Se as circunstâncias fossem outras António Costa tería sido demitido de secretário geral do PS porque não teria conseguido formar governo, é apenas isso.António Costa formou governo porque o PR não tinha outra alternativa, e não é por o PR ser Cavaco.Mário Soares não viabilizou a alternativa PS+PRD+PCP quando derrubaram Cavaco.A quem não agradou os resultados eleitorais foi à esquerda, independentemente dos cenários casuísticos que pintem.Passos coelho depois de ter governado durante 4 anos nas condições mais difíceis que Portugal alguma vez teve, ganhou as eleições, essa foi a vontade expressa pelo eleitorado. É certo que não vai governar devido à situação de circunstância, se o vai fazer de novo algum dia ? Os eleitores decidirão.
Enquanto os actuais actores políticos estiverem activos,uma coisa se ficou a saber, Passos ou qualquer outro,só governará se obtiver uma maioria absoluta.A esquerda conseguiu em democracia o que não conseguiu com o PREC , tornar os seus governos 'ad aeternum' .

De carlos a 26.11.2015 às 16:56

Só um aparte ; Será que também hoje vamos ver na SIC as senhoras idosas a subirem a calçada da ajuda a pé carregadas de sacos do supermercado?

De Carlos a 26.11.2015 às 23:30

Ontem os esganiçados do costume anunciavam o "delete" do portal do governo, mais as trituradoras de papel, etc,etc.Até mereceu ser notícia no jornal oficial do PS (Expresso).Anuncia-se que o portal já funciona, devidamente actualizado como obviamente seria de esperar.Quando se é rasteirinho é-se rasteirinho em tudo.

De Teodoro a 26.11.2015 às 10:54

Muito bom post. Não esquecer nesta conjuntura o perigo que é a possível vitória de MRSousa a PR, o dito sr. é uma raposa com pele de cordeiro, cuidado, é "menino" para fazer cair o governo!

De carlos a 26.11.2015 às 11:36

Concordo plenamente consigo , é um perigo elegerem alguém que não partilha os nossos ideais totalitários.

De Teodoro a 26.11.2015 às 12:02

Vocês (você), não tem vergonha nenhuma, depois destes anos todos com um governo, uma maioria e um PR, ainda vem mandar bocas??

De carlos a 26.11.2015 às 12:40

Bocas ? o PR já lá estava quando PPC foi eleito.

".. Não esquecer nesta conjuntura o perigo que é a possível vitória de MRSousa a PR, o dito sr. é uma raposa com pele de cordeiro, cuidado, é "menino" para fazer cair o governo!"

Isto é que são bocas. Perigo ? raposa em pele de cordeiro ? é "menino" ?
Não me diga que o Prof. Marcelo RS também é um perigoso fascista disfarçado ? Não sendo de esquerda, são todos perigosas raposas disfarçadas de mémé , é isso ?

De Pedro Figueiredo a 26.11.2015 às 12:09

Obrigado, Teodoro. Deixei a questão "presidencial" de fora propositadamente. Também o desempenho da esquerda até Janeiro irá influenciar o desfecho das eleições para Belém.

De Alexandre a 26.11.2015 às 11:41

Todos têm direito à sua leitura sobre os números das eleições. Há muitas e todas estão correctas desde que devidamente argumentadas.
Vou apenas dar uma simples opinião de um simples eleitor, leitor e contribuinte:
- Não se pode colocar o contador a zero, e era óbvio que depois de duas legislaturas desastrosas como foram as de Sócrates (enganou-me bem) houvesse uma tendência de recessão económica (e houve, grande);
- Mas também penso que no final desta legislatura, o País sai dela com credibilidade, precisamente porque decisões difíceis e impopulares foram tomadas ( e teriam de ser, fosse com qualquer governo);
- Vejamos o caso Grego, em cinco meses o Syrisa conseguiu destruir o pouco que de bom já tinham conquistado, levando a um terceiro resgate bem mais penalizador para o Povo.
- Nem tudo foi feito e nem sequer foi tudo bem feito mas colocando um pequeno resumo ao que foi o Governo de Passos - incluo direita e esquerda - concluo que foi dos muito poucos que deixou Portugal melhor que o encontrou.
- Relativamente à Coligação e ao PS penso que o entendimento era muito mais fácil (olhando aos programas eleitorais) entre eles que entre PS, Bloco e PCP, mas aqui entram já jogos políticos.

O respeito pelos Portugueses vemos nos actos e o respeito manifestado por Sócrates (e António Costa, o seu nº2 ???) nas suas legislaturas foi muito pouco.

De Pedro Figueiredo a 26.11.2015 às 12:06

Obrigado pelo seu comentário, Alexandre. Tem toda a razão: há várias leituras possíveis. A argumentação é essencial. No entanto, fiquei esclarecido com a sua conclusão, de Passos ter sido "dos muito poucos que deixou Portugal melhor do que o encontrou". Está a referir-se concretamente a quê? É que Passos foi o único (não dos poucos), repito o único, desde 1976 a deixar o país mais pobre do que o encontrou.
http://www.publico.pt/economia/noticia/a-prova-dos-factos-passos-e-o-unico-primeiroministro-a-entregar-o-pais-mais-pobre-do-que-o-recebeu-1707478

De carlos a 26.11.2015 às 12:55

Pensei que o seu "link" reportasse a dados oficiais, mas não, reporta às frases de António Costa e da esquerda durante a campanha eleitoral.Qualquer um pode dizer umas larachas e admitir-se que são verdade, basta para tal não haver contraditório.Comparar quem recebeu um País falido para governar, com quem o recebeu em tempo de "vacas gordas" não é lá muito sério, digo eu.É o mesmo que comparar 2% de crescimento do PIB na Somália e em Portugal.
Ainda ontem o Sr. João Galamba dizia algo notável, o país está melhor, mas não foi por mérito do governo, deve ter sido por obra e graça, (não do espirito santo que o Sr. Galamba não é crente), mas de todas as casualidades do mundo. A campanha eleitoral já acabou e já houveram eleições.

De O verdadeiro Atento a 26.11.2015 às 12:50

Divida portuguesa em 2011 : 107,2 % do PIB ( http://expresso.sapo.pt/economia/divida-publica-fechou-2011-em-1072-do-pib=f705802 )

Divida portuguesa em 2015 : 128.7 % do PIB ( http://expresso.sapo.pt/economia/2015-10-23-Divida-publica-portuguesa-e-a-3-mais-elevada-da-Uniao-Europeia )

PIB português em 2011 : 176 mil milhões
PIB português em 2014 : 173 mil milhões (http://www.pordata.pt/Portugal/PIB+(base+2011)-130)


Taxa de risco de pobreza após transferências sociais em 2011 : 25,4 %
Taxa de risco de pobreza após transferências sociais em 2014 : 26,7 %
(http://www.pordata.pt/DB/Europa/Ambiente+de+Consulta/Tabela )

Taxa de risco de pobreza antes de qualquer transferência social em 2011 : 42,5 %
Taxa de risco de pobreza antes de qualquer transferência social em 2014 : 47,8 %
( http://www.pordata.pt/DB/Europa/Ambiente+de+Consulta/Tabela )

E ainda há quem tenha a SUPREMA lata de vir para aqui dizer que o governo anterior deixou o pais em melhor estado do que o encontrou...É preciso ter um talo de todo o tamanho bem enfiado pelo rabo acima . Ou uma lobotomia. É escolher a opção que mais agradar .

De carlos a 26.11.2015 às 13:26

Sem lobotomias, esqueceu-se do pormenor , 2011 falência do estado Português.Pelos vistos no dia a seguir a PPC tomar posse como primeiro ministro a falência tinha desaparecido e não nos emprestaram 78 mil milhões de euros.Já para não falar que foi PPC e CS que chamaram a troika,logo isso da falência foi encenação da direita, porque tudo estava a correr de vento em pôpa.
Também se "esqueceu" de publicar os dados da Pordata relativos à dívida pública, às despesas da segurança social em % PIB,saúde em % PIB,etc
e já agora, http://www.pordata.pt/Portugal/%c3%8dndice+de+Bem+Estar+(R)-2578

Lata , lobotomia ou o talo enfiado pelo rabo acima ?

De O verdadeiro Atento a 26.11.2015 às 21:28

Se para si poupança e bom trabalho se resumem a cortar nos serviços estatais essenciais á população penso que não vale sequer a pena argumentar. Estamos num plano de humanidade completamente diferente.
No dia em que tivermos a população inteira de Portugal a pão e água mas os cofres do estado cheiinhos estaremos bem para si.
É uma forma de vêr as coisas. Uma forma de que qualquer ser humano decente teria vergonha.

De Carlos a 26.11.2015 às 21:44

E quais foram os serviços essenciais que o estado deixou de prestar à população ?

De Alexandre a 26.11.2015 às 15:13

tem toda a razao:

Continuo: os números vistos num dado momento e não num determinado contexto faz toda a diferença:

Em 2011 - contexto de recessão, falta de credibilidade externa com as taxas de juro de divida publica a X - como veio Pedro com os numeros deve saber qual mas o Teixeira dos Santos (ministro das finanças de Socrates) diz ... superior a 7% que era o seu limite para o pedido e ajuda externa

Em 2015 - e m 25-11-2015 a 10 anos era de 2,875% a 10 anos, dados do IGCP

Eu considero uma melhoria



De carlos a 26.11.2015 às 15:55

Antevendo ....

Os camaradas vão fazer um cópia + cola das declarações do Sr. João Galamba ,É tudo obra do acaso.O anterior governo nada fez para melhorar a situação do país,tudo o que possa ter melhorado foi por decisão do TC ou por acção externa... etc,etc , talvez juntem mais uns rodriguinhos.Aguardamos sem expectativa.

De Alexandre a 26.11.2015 às 15:46

O talo pelo rabo acima tem quem lhe fez as orelhas.

Até ao seu comentário era uma conversa civilizada com diferentes pontos de vista que pelos visto nao respeita.

De O verdadeiro Atento a 26.11.2015 às 21:30

Ok,é a lobotomia então, uma vez que a opção do talo não lhe agradou.

De Jaime Santos a 26.11.2015 às 12:47

A melhor resposta à Direita nesta altura é esta: ...

De Alexandre a 26.11.2015 às 15:33

Sim, Os privilégios da Carris e afins estão assegurados.
Podem fazer greves à vontade

De luis costa a 26.11.2015 às 13:22

que maravilha, e no tempo da outra senhora é que havia atropelos a democracia e reinava a ditaduta, mas agora quem governa são os falhados que perdem eleições.
por este andar quem devia governar era a abstnção graças aos 50 etal por cento conseguidos, mas não a escumalha do Costa faz o que quer, começo a ter vergonha de dizer que vivo e nasci ( sim que as minhas origens são em Portugal, ao contrario das dele) do usurpador Costa. que chegue depressa 2019 para ele ir para onde merece, ou se o povo abrir os olhos ainda antes........

De Joe Strummer a 26.11.2015 às 15:44

Eheheh

Os reaccionarios estão em broa. Ressentimento, mentiras, inverdades, cobardias e falsificações baratas.
Denial is a river in egypt.

De Filos a 26.11.2015 às 16:47

Vi por acaso através do Sapo, mas o autor do texto e alguns comentadores têm de pensar não só com o “coração” mas também com a razão; acham que tudo isto é tão “inocente” como parece, que tudo isto é por acaso, que não existem jogos políticos de bastidor? E não me estou a referir só à Maçonaria que o Sr. António Costa também faz parte!
https://www.youtube.com/watch?v=yjuNscwrrJs#t=24

O PCP e o PS que sempre tiveram ideologias tão díspares, modos de ver, por ex. da integração na União Europeia e da NATO (Organização do Tratado do Atlântico Norte, também designada de OTAN) tão diferentes! Diziam COBRAS e LAGARTOS um do outro e agora já se entendem? O Costa teve de prometer coisas ao PCP, Bloco de Esquerda e Verdes, quando sabe que muitas delas não pode cumprir! Quanto cinismo!
A ÚNICA MAIORIA QUE EXISTE É A QUE DERRUBOU O GOVERNO. A PARTIR DE AGORA VOLTAMOS À MINORIA NO PODER. Quando o próprio Jerónimo de Sousa e não só, já afirmaram que poderão apresentar moções de censura contra o PS? Haja paciência!

http://expresso.sapo.pt/politica/2015-11-10-Afinal-PCP-podera-apresentar-mocoes-de-censura-contra-o-PS

http://www.tsf.pt/politica/interior/executivo-de-antonio-costa-tera-de-governar-de-acordo-com-o-acordo-4901605.html

http://www.publico.pt/politica/noticia/pcp-admite-nao-haver-acordo-com-ps-para-eliminacao-da-sobretaxa-de-irs-1715561


Espero que os “outros” tivessem deixado os COFRES VAZIOS. Quero ver onde vão buscar o dinheiro para pagar por ex. salários e reformas.
O F.M.I. (Fundo Monetário Internacional), B.C.E. (Banco Central Europeu) e Comissão Europeia…resumindo TROIKA andam por perto! Ou acham que é só pedir dinheiro e depois não tem de se pagar aos credores? Vão PERDOAR A DÍVIDA, ou então VAI SER A JURO “zero”?
Pelo que eu sei em Julho, a Grécia teve de reforçar medidas de austeridade e vender participações em algumas das maiores empresas Gregas, por ex. do sector eléctrico (privatizações), muito raramente têm falado nesse país, porque anda tudo muito entretido com os atraques terroristas em França (porque nos outros países não interessa nada, não é?) anda tudo muito entretido em deitar abaixo e como ELIMINAR o “ditador” Bashar al-Assad…Isso era outro assunto que dava pano para mangas e não é para aqui chamado pois não é isso que está em questão.
Acham que existe algum interesse em “SALVAR” a GRÉCIA ou PORTUGAL? Claro que não e claro que SÃO MANOBRAS DE SOBREVIVÊNCIA POLÍTICA!
Que me interessa se ao final do mês tiver mais 20 Euros no bolso (se chegar sequer a esse valor) se ao fim do tempo de “duração” dessa “coligação” (que curiosamente nenhum dos outros faz parte do dito governo) vou ter de reembolsar isso e muito mais, pois esquecem-se que independentemente do governo que for (esquerda, direita, centro) EXISTEM REGRAS A CUMPRIR e como é obvio, NÃO SE PODE “DAR” MAIS DO QUE SE RECEBE!
Ha já sei, foi descoberta uma mina de diamantes no Alentejo e começaram finalmente as explorações de petróleo no Algarve!
Vejam com atenção, analisem e tirem conclusões dos seguintes links e de acordo com a jornalista Espanhola Cristina Martín Jiménez, que escreveu o livro “O Clube Secreto dos Poderosos” afirma que a crise foi planeada no CLUBE BILDERBERG e fabricada entre quatro paredes para dar mais poder a quem já o tem…. Sobre isso não tenho qualquer dúvida….e MUITOS SÃO “ESCOLHIDOS” PARA SEREM GOVERNO…

https://www.youtube.com/watch?v=Jy3OLp3z_-k

http://www.tsf.pt/economia/interior/a_crise_foi_planeada_pelo_clube_bilderberg_4359579.html

http://portugalconfidencial.com/2010/06/bilderberg-o-poder-oculto/


https://www.youtube.com/watch?time_continue=13&v=LPIBWB9ZKEI


https://www.youtube.com/watch?v=LPIBWB9ZKEI

Comentar post




Sitemeter



Comentários recentes

  • MRocha

    Se está na lei que devem ser públicas, cumpra-se a...

  • Jaime Santos

    Trump, além de mentiroso, é sobretudo um egomaníac...

  • Joe Strummer

    Pois, mas convem não deixar que noutro lado se ins...

  • Anónimo

    E estou eu contratado pelo estado à 16 anos.

  • Daniel Silva

    Sim, a tendencia é sempre a mesma. O aumento salar...







«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.» Ortega y Gasset