Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



21
Fev

A vitória (da) política grega

por Frederico Francisco

Um dia após o pré-acordo atingido no Eurogrupo sobre a situação grega, já muitos dos habituais se apressaram a argumentar que o acordo que a Grécia conseguiu é uma cedência desta em toda linha e que ficou demonstrado que, independentemente dos governos, as regras europeias têm que ser cumpridas. Era, sem dúvida, interessante discutir a quase satisfação com que muitos no nosso espaço público fazem esta apologia da inutilidade das escolhas democráticas face às inevitabilidades ditadas por Bruxelas (ou Berlim), mas isso ficará para outra altura.

Neste momento interessa focar o que a Grécia já conseguiu de importante. A extinção da Troika, mesmo podendo ser apenas simbólica, representa a recuperação do papel de membro de pleno direito da Zona Euro. A partir de agora, as negociações fazem-se ao nível político de igual para igual. É verdade que as três instituições continuam a ter um papel, mas não haverá mais negociações de ministros com funcionários. Se for só por isto já valeu a pena.

Em simultâneo, o governo grego aumenta o seu nível de responsabilização pelo que se irá passar de seguida. Ao assumir publicamente a co-autoria das reformas que vão ser efectuadas, não terá mais a possibilidade de se desculpar com imposições da Troika (faz lembrar alguém?). Neste aspecto, é também uma vitória da política e uma vitória da democracia.

Autoria e outros dados (tags, etc)


1 comentário

De Vargas a 21.02.2015 às 19:05

- Meta do défice para 2015 não será de 3%, como anteriormente exigido pela Troika;
- Para os anos seguintes, não serão cumpridas as metas do défice anteriormente impostas pela Troika - novas metas "apropriadas" serão negociadas;
- Aumento do IVA exigido pela Troika não será cumprido;
- Aumento das pesões exigido pela Troika não será cumprido;
- Reformas estruturais serão formuladas em conjunto e não impostas unilateralmente pela Troika, como antes.

Os gregos acabaram de nos ensinar como é que se defende os interesses de uma nação.
http://youtu.be/hc3lW3Nj1PU?cc_load_policy=1

Comentar post




Sitemeter



Comentários recentes

  • João Rosa

    Este post já tem algum tempo mas desde que se inic...

  • Zzzzz

    Qualquer comparação, equiparação, ao nazismo, abso...

  • Sérgio Lavos

    Concordo, devemos respeitar quem é diferente de nó...

  • Bruno

    Muito sinceramente, isto é tudo muito lindo, mas h...

  • alvaro silva

    Só vejo dores de cotovelo e premonições de catástr...







«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.» Ortega y Gasset