Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



01
Jun

Gente séria é outra coisa

por David Crisóstomo

 

Ufa! Já soube da nova, caro co-cidadão? A divida não vai aumentar. Nada. Niente. Afinal é só impressão nossa. Se formos a ver bem, a divida pública, com este governo que transpira credibilidade, nunca aumentou. Disparate. São os comunas do costume que andam para aí a caluniar o sucesso económico destes nossos salvadores governamentais. Mas olhe caro co-cidadão, o nosso primeiro-ministro é tão honesto, tão casto, tão probo, tão integro que até diz que não culpará nenhum ranhoso que deseje outra coisa para a nação. Vivemos tempos históricos caro co-cidadão, pois com este governo, esta maioria e este palhaço presidente, o povo pode descansar, pois a mentira está ausente. São o cumulo da decência, o cúmulo da respeitabilidade. Com Passos Coelho a divida não aumentará. E 2013 será o ano da estabilização económica. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

De culaga a 02.06.2013 às 11:07

Ultrapassar não é a palavra correta, o ajundante de palhaço depois vêm dizer que "devido ao degradar e ás dificuldades europeias, a nossa economia teve de se adaptar e como consequência o nossa divida foi superior ao esperado, nada que não estivesse previsto, mas o resultado é positivo porque conseguimos manter a média em comparação com os restantes Paises ou até mesmo o aumento da nossa divida em relação á Grécia ou Irlanda foi bastante menor", não brinquem comigo, este tipo devia de estar a atuar nos palcos dos EUA, nos festivais de piadas secas, gahava sempre.
Consequencias de uma geração J bastante doutourada e para terminar não se deve chamar palhaço porque é uma ofensa aos verdadeiros profissionais dessa arte que tentam ganhar a vida honestamente e com grande dificuldade.

De Luis Borges Julião a 02.06.2013 às 12:45

FRASES DE SOARES EM 1984:

Os problemas económicos em Portugal são fáceis de explicar e a única coisa a fazer é apertar o cinto” - DN, 27 de Maio de 1984 "

O importante é saber se invertemos ou não a corrida para o
abismo em que nos instalámos irresponsavelmente - junho 1984 "Portugal habituara-se a viver, demasiado tempo, acima dos seus meios e recursos - RTP junho 1984

“A terapêutica de choque não é diferente, aliás, da que estão a aplicar outros países da Europa bem mais ricos do que nós” - RTP, 1 de Junho de 1984

"Quem vê, do estrangeiro, este esforço e a coragem com que estamos a aplicar as medidas impopulares aprecia e louva
o esforço feito por este governo.” - JN, 28 de Abril de 1984.

Comentar post




Sitemeter



Comentários recentes

  • Zzzzz

    Qualquer comparação, equiparação, ao nazismo, abso...

  • Sérgio Lavos

    Concordo, devemos respeitar quem é diferente de nó...

  • Bruno

    Muito sinceramente, isto é tudo muito lindo, mas h...

  • alvaro silva

    Só vejo dores de cotovelo e premonições de catástr...

  • J P C

    Se é isso o que o meu comentário lhe faz lembrar, ...







«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.» Ortega y Gasset