Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



11
Abr

Será que aguenta?

por Cláudio Carvalho

Fernando Ulrich, 8 de abril de 2013, à RTP Informação, perante a questão de Cristina Esteves «Isso significa que a banca portuguesa está de boa saúde e não precisa daquele montante que está guardado e que era destinado à Banca pela troika?»: «Pelas informações que eu tenho, penso que não. No caso do BPI, seguramente. Nós, aliás, neste momento, se as regras de cálculo dos rácios de capital fossem atualizáveis como deviam, (...) o BPI podia reembolsar imediatamente o Estado Português, praticamente na totalidade do capital que ainda tem e que tem sido um excelente negócio para o Estado (...)»

 

Bloomberg, dois dias depois:
«Portugal will probably need to tap a recapitalization fund for its banks a second time under a bailout plan because lenders’ asset quality is deteriorating, Moody’s Investors Service said. “Despite the effort that has been made to improving the capital for banks, amid the deterioration of the economic environment, asset quality and profitability are going to continue to suffer.” Pepa Mori, an analyst at Moody’s, said in an interview in Lisbon today. In a January report, Moody’s estimated Portuguese banks’ needed about 8 billion euros ($10.5 billion) in capital, according to stress tests.»

Jornal i:
«(...) a Moody’s diz que os bancos portugueses, nomeadamente o BCP, BPI e Banif, que já recorreram aos 12 mil milhões de euros da troika, vão precisar de mais capital. (...)»

Autoria e outros dados (tags, etc)




Sitemeter



Comentários recentes

  • João Rosa

    Este post já tem algum tempo mas desde que se inic...

  • Zzzzz

    Qualquer comparação, equiparação, ao nazismo, abso...

  • Sérgio Lavos

    Concordo, devemos respeitar quem é diferente de nó...

  • Bruno

    Muito sinceramente, isto é tudo muito lindo, mas h...

  • alvaro silva

    Só vejo dores de cotovelo e premonições de catástr...







«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.» Ortega y Gasset