Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

365 forte

Sem antídoto conhecido.

Sem antídoto conhecido.

10
Abr13

A miragem das exportações

Nuno Pires
INE: Comércio Internacional de bens:exportações aumentaram 0,8% e importações diminuíram 6,1% - Fevereiro de 2013
(fonte: INE)


Ao que o INE nos transmite e o Jornal de Negócios noticia, a evolução das nossas exportações continua a rota de declínio que há já algum tempo se tem vindo a verificar, não obstante as normais flutuações pontuais, as quais são rapidamente aproveitadas pela rapaziada que (ainda) apoia este Governo para bizarros exercícios de manipulação de informação.

 

De acordo com a informação agora divulgada, as vendas globais ao exterior desceram 2,6%, correspondendo a uma queda de 2,5% para os demais países da União Europeia e a uma descida de 2,8% para países terceiros. A meu ver (mas posso ser eu que estou errado), não são propriamente números lá muito animadores.


E, como se isto não bastasse, o INE também divulgou ontem aquilo que pode ser considerado como o indicador avançado das exportações - pois é: os números das novas encomendas à indústria, referentes a fevereiro deste ano, foram divulgados e não são nada animadores: o trambolhão, em termos homólogos, foi de 3,1% em fevereiro, que se junta a uma queda homóloga, em janeiro, de 2%.


Entre outras ilações, os números agora divulgados confirmam, assim, duas coisas: a primeira é a de que os alertas para os efeitos perniciosos das políticas de austeridade, que estão a causar sérios danos e consequências duradouras aos países do Sul da Europa, eram pertinentes e o seu impacto está cada vez mais à vista de todos; a segunda é a comprovação da absoluta ingenuidade (sendo muito simpático) de todos aqueles que apoucaram quem alertou para as políticas erráticas em curso e, mais recentemente, para o facto de a ligeira subida no mês de janeiro se ter ficado a dever, quase em exclusivo, a encomendas específicas que se sabia que seriam concretizadas nesse mês, e não a um qualquer fenómeno de inversão de tendência.

 

1 comentário

Comentar post

«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.»
- Ortega y Gasset

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

No twitter

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D