Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

365 forte

Sem antídoto conhecido.

Sem antídoto conhecido.

30
Mar13

Da anatomia dos sevandijas

Cláudio Carvalho
Não sei se é uma realidade particularmente portuguesa, nem interessa para o caso, mas constato que boa parte dos fazedores de opinião do burgo sustentam as suas conclusões ou posições com base na realidade como a imaginam e não de acordo como ela realmente é. Depois, a "opinião pública" vai ao sabor da maré dos sevandijas de serviço, consoante lógica similar. Os factos nada interessam. Se não gostam de um fulano, basta apimentar uma hipótese com uma boa dose de demagogia, que logo se tornará numa verdade dogmática aos olhos do público. O forte enraizamento cultural do futebol e a mentalidade sebastiânica fazem o resto; quão angustiante é, este fenómeno bem português da futebolização da discussão política e da adoração de políticos disfarçados de comentadores que julgam deter toda a verdade e serem os salvadores de uma nação, nem que para isso seja preciso inventar a realidade. Em comentarismo política, não vale tudo.
«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.»
- Ortega y Gasset

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

No twitter

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D