Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O consultor do Pingo Doce falou hoje à nação:

 

O responsável recorda que em 2009, quando o Governo de José Sócrates determinou um aumento do salário mínimo de 426 euros para 450 euros, Manuela Ferreira Leite, então líder do PSD, “teve o cuidado de dizer que as subidas dramáticas no salário mínimo que se fizeram nessa altura iam gerar muito desemprego mais tarde. Avisou e avisou bem e isso custou-lhe muito caro em termos de popularidade.”

 

Ou seja, você achava que eram as absurdas, irracionais e sádicas politicas deste governo que estavam a contribuir para a maior taxa de desemprego dos últimos 40 anos? Deixe-se disso! A culpa é, pela 1368ª vez, do tirano socrático que estas terras amaldiçoou. Há que desfazer essas imprecações, já, com urgência! 400 & tal euros? Mas somos todos imperadores faustosos ou quê? Não, é necessário dissolver esta praga gananciosa de querer um salário. Aliás, “o ideal até era que os salários descessem como solução imediata para resolver o problema do desemprego.” Assim faseadamente, até extirparmos esse hábito horroroso de gastadores. Só deste modo as politicas clarividentes do colossal sábio Gaspar restaurarão a antiga glória da nação.  Avante!


Autoria e outros dados (tags, etc)


3 comentários

De Tiago Cabral a 08.03.2013 às 10:39

É como a história do burro ao qual o dono foi habituando a comer cada vez menos, quando estava quase a conseguir que ele não comesse não é que o raio do burro morreu?

De Luis f a 08.03.2013 às 15:44

\"u seja, você achava que eram as absurdas, irracionais e sádicas politicas deste governo que estavam a contribuir para a maior taxa de desemprego dos últimos 40 anos? Deixe-se disso! \"
Tem razão, deixe-se disso. As políticas absurdas são consequência directa de décadas de politica de défices, cujo ultimo interprete foi Sócrates. Azar dos tavoras, mas também é verdade que ele foi dos mais empenhados nela.
Mas o mais engraçado é que o pessoal nao percebe que o problema são os défices passados que nos levaram a um ponto em que a escolha era entre o fogo e a frigideira.

De David Crisóstomo a 08.03.2013 às 18:25

(suspiro)
deixo-lhe o texto do Hugo Mendes no Diário Económico. Enjoy - http://economico.sapo.pt/noticias/populismo-domestico_164212.html

Comentar post




Sitemeter



Comentários recentes

  • João Rosa

    Este post já tem algum tempo mas desde que se inic...

  • Zzzzz

    Qualquer comparação, equiparação, ao nazismo, abso...

  • Sérgio Lavos

    Concordo, devemos respeitar quem é diferente de nó...

  • Bruno

    Muito sinceramente, isto é tudo muito lindo, mas h...

  • alvaro silva

    Só vejo dores de cotovelo e premonições de catástr...







«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.» Ortega y Gasset