Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



09
Dez

Vizinhança

por Nuno Pires

A.R., Buscas, notícias, impunidade:

A investigação criminal continua a sustentar a intriga mediática e a destruir reputações. Há algum tempo, a Ministra da Justiça anunciou o fim da impunidade. Com esta, pelo menos, ainda não acabou.

 

Eduardo Pitta, Ventríloquo:

Gaspar erra nas contas e engana os portugueses. A todas estas, o Presidente da República aproveitou uma passagem pelo Casino Estoril para dar um remoque ao governo. É isto o regular funcionamento das instituições?

 

Isabel Moreira, Talvez parar de falar nas declarações de voto de alguns Deputados do CDS e olhar para a declaração de voto de todos os Deputados do PSD:

Para a vergonha ser esta, para a ilustração de seres movidos a pilhas com comandos remotos ser esta, mais valia que não apresentassem declaração alguma.

 

Mariana Vieira da Silva, Não aprendem, nunca aprendem:

O governo decidiu acabar com os planos de recuperação - tentativa de recuperação do insucesso escolar que procurava actuar antecipadamente junto dos alunos com avaliações intermédias negativas ou excesso de faltas - sem explicar as razões e sem apresentar verdadeiras alternativas.

 

Miguel Marujo, Porque não se calam antes de dizer disparates?:

Em tempos de crise, a demagogia solta-se com juvenis más-criações.

 

Sofia Loureiro dos Santos, Clima totalitário:

O que mais impressiona é termos governantes que consideram óbvia a necessidade de não se responsabilizarem, enquanto representantes eleitos, pelo bem-estar dos seus concidadãos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)




Sitemeter



Comentários recentes

  • Zzzzz

    Qualquer comparação, equiparação, ao nazismo, abso...

  • Sérgio Lavos

    Concordo, devemos respeitar quem é diferente de nó...

  • Bruno

    Muito sinceramente, isto é tudo muito lindo, mas h...

  • alvaro silva

    Só vejo dores de cotovelo e premonições de catástr...

  • J P C

    Se é isso o que o meu comentário lhe faz lembrar, ...







«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.» Ortega y Gasset