Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



É impressioante que em dezembro de 2012, depois de tudo o que se passou, de tanta ingenuidade assassinada, de tanta prova que cuidar da imagem no segundo seguinte vale de pouco (demasiado pouco para aquilo que se hipoteca no jogo da descredibilização da democracia, dos partidos, na destruição da confiança e da esperança), ainda se insista neste discurso de vistas curtas hoje repetido pelo Presidente da República.

Ou somos todos Gregos e Alemães e Portugueses ou então seremos muito pouco. É só encavalitar os livros de história com cuidado, trepar por eles acima e estender o olhar ali para o horizonte que se vê. 

Autoria e outros dados (tags, etc)




Sitemeter



Comentários recentes

  • Jaime Santos

    Eu não entendi o comentário do Diogo Moreira nesse...

  • MRocha

    Se está na lei que devem ser públicas, cumpra-se a...

  • Jaime Santos

    Trump, além de mentiroso, é sobretudo um egomaníac...

  • Joe Strummer

    Pois, mas convem não deixar que noutro lado se ins...

  • Anónimo

    E estou eu contratado pelo estado à 16 anos.







«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.» Ortega y Gasset