Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O Director-Geral dos Serviços Prisionais é confrontado* com ratos nas prisões. Responde qualquer coisa como Quem nunca teve ratos, quem é que nunca apanhou um rato em sua casa?

É depois confrontado com as dores de costas de um recluso, que supostamente recomendariam a aquisição de uma cadeira de rodas que a Direcção-Geral não comprou, e responde Quem não sofre de dores de costas?, Eu sofro de dores de costas.

Não sei como decorreu o resto da audição mas face a estes exemplos fica a suspeita que  se quisermos saber o que se passa em casa do Director-Geral basta continuarmos a percorrer as incidências que no nosso imaginário compõem o quotidiano das nossas prisões.

 

* - ouvido na TSF, sem link disponível até ao momento.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)




Sitemeter



Comentários recentes

  • Jaime Santos

    Eu não entendi o comentário do Diogo Moreira nesse...

  • MRocha

    Se está na lei que devem ser públicas, cumpra-se a...

  • Jaime Santos

    Trump, além de mentiroso, é sobretudo um egomaníac...

  • Joe Strummer

    Pois, mas convem não deixar que noutro lado se ins...

  • Anónimo

    E estou eu contratado pelo estado à 16 anos.







«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.» Ortega y Gasset