Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



21
Nov

Já chega, sim?

por David Crisóstomo

Vá, vou ser rápido e sucinto: enjoei da quantidade de textos que repetem a converseta de taxista sobre o LIVRE: 'serve para o Rui Tavares continuar em Bruxelas'. Artigos de opinião escritos, nalgumas circunstâncias, por gente respeitável (e vidente, no caso do Luís Menezes Leitão, que já teve acesso a um programa-que-não-existe e a medidas-que-não-foram-propostas). Pois bem, vamos lá reavivar a memória deste pessoal amnésico:

 

31/08/2013 - 1º convite do PS: "Rui Tavares recusa ser candidato pelo PS: Sondado pelo PS, Rui Tavares diz que não será candidato por nenhum dos partidos existentes"

 

05/11/2013 - 2º convite do PS: "Rui Tavares recusa ser candidato às europeias nas listas do PS: O eurodeputado Rui Tavares declarou hoje à agência Lusa que não aceitaria um convite para integrar as listas do PS às eleições para o Parlamento Europeu, marcadas para maio de 2014."

 

E para os cavalheiros que acham que é mais fácil ou confortável criar um partido [com primárias abertas (sim Louçã, tem calma, bebe um copo de leite quente com mel e respira fundo)], recolher as 7500 assinaturas necessárias e andar pelo país inteiro a fazer campanha sem o apoio de nenhuma das grandes máquinas partidárias, do que simplesmente vir em 4º ou 5º na lista do principal partido da oposição e provável vencedor das próximas eleições europeias em Portugal, aconselho uma boa e longa noite de descanso, pois claramente não estão a regular muito bem. Bom, podemos encerrar de vez esta lengalenga populista de "o Rui Tavares criou um partido para ser eleito"? Podemos? Sim? Agradecido.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


8 comentários

De Miguel Cabrita a 21.11.2013 às 09:41

Ainda assim não deixa de ser hilariante ver como a esquerda comunista e autoritária espuma de raiva pela simples sugestão de que possa surgir um novo partido da esquerda liberal que, segundo a sua velha doutrina, são agentes infiltrados do capital no movimento dos trabalhadores.

De Daniel a 21.11.2013 às 10:28

So far so good ...
Mas, a direita quantos partidos têm?
Já a esquerda está unida como? MRPP-Bloco de Esquerda-CDU e agora o LIVRE, sim não conto com o PS, que de esquerda já sabemos como funciona.
A unidade da Esquerda está onde?
A direita será sempre unida, unida pelo capital.
A esquerda será sempre desunida, e para quando uma nova separação do Livre?
Deus nos Livre.

De Carlos Marques a 21.11.2013 às 11:33

Ó David Crisóstomo, vai-me dizer que os Verdes Europeus têm uma pequena máquina partidária? Ou, que o projeto Ulisses, berço e almofada da vossa organização, tem um orçamento baixo?
Se pretende arranjar argumentos para defender a filial do Cohn Bendit em Portugal, deixe de lado o populismo gasto.
Com as minhas felicitações,
Carlos Marques

De David Crisóstomo a 21.11.2013 às 11:47

Ó Carlos Marques, vou-lhe dizer que isso é irrelevante, pois os Verdes Europeus só apoiam os partidos que pertencem àquele grupo (como é natural), sendo que além de o LIVRE (ainda) nem ser um partido nem pertencer a nenhuma organização partidária supranacional, os Verdes Europeus já têm um representante em Portugal - o PEV . Ou seja, quem deve andar beneficiar desses rios de dinheiro de que fala devem ser a Heloísa Apolónia e àquelas outras cinco pessoas que compõem o partido ecologista 'os verdes'.
E já agora, 'populismo gasto', mas sempre à mão de certas mentes, é andar aí a gritar que há fontes secretas e escondidas de dinheiro (a burguesia! o capital!) para organizações políticas, só com base em 'eu acho que...', mas enfim.
Com ainda maiores felicitações,
David Crisóstomo

De Carlos Marques a 21.11.2013 às 12:06

Caro David,
há várias referências na imprensa nacional e europeia a dar conta da futura adesão do LIVRE aos Verdes Europeus. E é escusado inventar, basta ir ao site do projeto ulisses para ver quem financia.
Com os meus sinceros cumprimentos,
Carlos Marques

De Rui Tavares a 21.11.2013 às 15:11

A conversa está boa, mas lamento interromper para um bocadinho de informação. O documentário foi pago pelo grupo parlamentar Verdes/ALE do Parlamento Europeu, aberta e transparentemente, porque os grupos parlamentares têm um fundo precisamente para este efeito. Há em geral uma competição grande entre ideias para usar esse dinheiro e foi uma pequena grande vitória ter-se conseguido o financiamento para o Ulisses. Como membro do grupo parlamentar tenho direito a concorrer a esses projetos, e fico contente por ter sido possível realizar o filme com esse apoio, pois de outra forma não teria sido possível explanar de forma tão completa uma alternativa de desenvolvimento para sair da crise na União e no Sul.

Era um bocadinho o que faltava que um deputado português fosse criticado por ter conseguido financiamento para um filme sobre como ultrapassar a crise em Portugal — no entanto, este financiamento não é de um partido, não é para um partido, e em nenhum momento menciona o LIVRE.

Outra coisa é o Partido Verde Europeu. Quem dele faz parte é o PEV português. Se viu algumas notícias dizendo que o LIVRE iria para lá, agradeço que não as mencione sem as citar, para se poder saber e eventualmente responder. Decorre claramente da nossa carta de princípios que o LIVRE considerará de forma aberta e transparente as colaborações com partidos internacionais que desejar ter, mas esse debate não foi iniciado. Quando for, certamente que se saberá.

De Carlos Marques a 21.11.2013 às 15:33

Caro eurodeputado Rui Tavares,

"Rui Tavares anunciou no sábado que, para facilitar a recolha de assinaturas, enviaria envelopes pré-pagos juntamente com a ficha de pré-filiação de modo que este processo não tivesse custos para quem estivesse disposto a contribuir para a formação do partido que quer situar- -se ao "meio da esquerda"."
Jornal I, 21 de Novembro de 2013.
Pode-me dizer de onde vem o dinheiro? Uma vez que não é partido e tem recursos financeiros para este tipo de operações.

Já agora, está-me a dizer que não irá fazer parte dos Verdes Europes? Não está, como não o pode dizer. Diz que será uma discussão a ser tida, concerteza, tal como na apresentação do "LIVRE" - ao qual tive o prazer de me deslocar, e convencer-me de que infelizmente não valeu a pena - estava tudo em aberto, desde que o projeto socorresse tudo o que já estava anteriormente definido, por isso é que está a ser construído à imagem e semelhança das suas ideias, ambições pessoais e angústias de perder a cadeira em Bruxelas.

Já agora, não se esqueça da dimensão do seu país e da diminuta dimensão do seu círculo de influência. As coisas - como tem vindo a descobrir - vão-se sabendo.

Pode escrever o que quiser, mas eu, vocês, o Barata e a Loja Neves, sabemos que o LIVRE acabará nos Verdes Europeus, pelas mais diversas razões que nos são familiares.

Obrigado por me ter atentido,

Carlos Marques

De Rui Tavares a 21.11.2013 às 18:10

Quem paga os envelopes? Nós, com o nosso dinheiro, na medida das possibilidades. Todas as contas serão publicadas no site.

Não sei dizer se o LIVRE irá para o partido x ou y ou nenhum. Não me compete a mim.

Comentar post




Sitemeter



Comentários recentes

  • Zzzzz

    Qualquer comparação, equiparação, ao nazismo, abso...

  • Sérgio Lavos

    Concordo, devemos respeitar quem é diferente de nó...

  • Bruno

    Muito sinceramente, isto é tudo muito lindo, mas h...

  • alvaro silva

    Só vejo dores de cotovelo e premonições de catástr...

  • J P C

    Se é isso o que o meu comentário lhe faz lembrar, ...







«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.» Ortega y Gasset