Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

365 forte

Sem antídoto conhecido.

Sem antídoto conhecido.

20
Nov13

There's only one Ronaldo

Nuno Oliveira

A história explica-se em parte pelo trauma dos adeptos do Machester United com Ronaldo, o Fenómeno. Corria o ano de 2003. Liga dos Campeões. O Manchester United tinha perdido a primeira mão em Madrid 3-1 contra o Real de Raúl, Roberto Carlos, Figo, Zidane... e Ronaldo. A segunda mão destes quartos de final, em Old Trafford a 23 de Abril, confrontava os clubes vencedores de três das quatro anteriores edições da Liga dos Campeões.

 

O resultado foi um dos melhores jogos de futebol da história. Uma noite memorável para adeptos do Real apurado e  para adeptos do Manchester que apesar da eliminação do seu clube brindaram, no final da partida, todos os jogadores com uma standing ovation. Apesar da vitória do United por 4-3 o herói da noite é Ronaldo, o Fenómeno que com o seu hat-trick coloca o Real a vencer 0-1, 1-2 e 1-3 permitindo a sensação de controlo do jogo e da eliminatória. A ponto de ter direito a uma ovação só para si no momento em que é substituído, aos 67 minutos:

Reza a lenda que na audiênca se encontra um milionário russo Roman Abramovich que fica de tal forma entusiasmado com o espectáculo que decide naquele momento comprar um clube de futebol.

 

Seis meses depois, num particular contra o Sporting na inauguração do Alvalade XXI, Ferguson rende-se a um outro Ronaldo, uma promessa de futebol português. A história é conhecida. A partir desse momento havia Ronaldo, o Fenómeno e Ronaldo, o outro, o Cristiano. Os anos que se seguem são marcados para ascenção meteórica de Cristiano Ronaldo e em sentido oposto pela transição de Ronaldo, o Fenómeno para Ronaldo, o Gordo.

 

Com o passar dos anos aumenta a tentação da comparação. No estilo excessivo próprio dos adeptos, os fãs do Manchester United adoptam um cântico "There's only one Ronaldo". Em 2009, o próprio clube aproveita para vender o cântico em merchandising. Ronaldo, o Fenómeno prossegue a sua curva descendente com ostensivos problemas em controlar o peso resultantes de um hipertiroidismo só mais tarde revelado. Não obstante, os adeptos do Corinthians, onde viria a terminar a carreira, fazem uma camisola de resposta exibindo o palmarés de Ronaldo Luís Nazário de Lima.

Certamente Cristiano Ronaldo não igualará os dois títulos mundiais de Ronaldo, o Fenómeno. No entanto, em quaisquer outros parâmetros Cristiano Ronaldo ou já ultrapassou ou está em vias de ultrapassar o desempenho de Ronaldo, o Fenómeno em toda a sua carreira de clube. 
 

Neste momento, parece definitivo que Ronaldo já não se compara com Ronaldo, o Fenómeno. Ronaldo está numa escala onde já só estarão Pelé, Maradona... e Messi. There's only one Ronaldo.

 

15 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.»
- Ortega y Gasset

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

No twitter

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D