Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



01
Nov

O guião Não Satisfaz

por Nuno Oliveira

Haverá muitos e válidos motivos para que o PS não se furte a nenhum debate, menos ainda respeitante à reforma do Estado. Não só um partido com a história reformista do PS não teme o debate como, aposto, vê neste em particular um desafio que não é certamente irrelevante para propostas futuras de um partido de Governo.
 

O que é duvidoso é que o PS possa aceitar que esse debate tenha como ponto de partida um documento que é uma nulidade. O PS não pode aceitar entrar para um debate com termos propostos por um Guião de Reforma do Estado que não constitui uma base séria de trabalho e cuja pobreza apouca todos os actores políticos. O PS não pode aceitar o que nenhum professor da C+S de Massamá não aceitaria.


Um debate sério é desde logo um debate estruturado e que possa envolver dos interlocutores mais qualificados da nossa sociedade. Se os partidos da maioria estão interessados em fazer a discussão da reforma do Estado bem que poderiam revisitar a proposta que o Grupo Parlamentar do Partido Socialista fez em tempo oportuno para um debate sério do tema. Na altura, a maioria afirmava não querer "um processo ao retardador". Quer a maioria esclarecer se, passados 12 meses, está disponível para acolher a proposta de então do Grupo Parlamentar do PS para um efectivo debate sobre uma efectiva reforma do Estado?

Autoria e outros dados (tags, etc)


3 comentários

De manuelcav a 01.11.2013 às 11:16

O PS limitou-se a propor uma metodologia para debater a reforma do Estado, ora de debates estão os portugueses fartos! Interessante seria conhecer as propostas concretas do PS para reformar o Estado....
Agir dá muito trabalho e tomar posições acarreta riscos políticos, riscos esses que António José Seguro, em campanha eleitoral há mais de 2 anos, não tem a coragem de correr para não perder a face perante o seu "eleitorado".

De Nuno Oliveira a 01.11.2013 às 11:46

É um pouco estranho que se pretenda que o PS tenha uma proposta de reforma ao mesmo tempo que apresenta uma metodologia para a discussão. Parece mais útil recolher do debate elementos para alinhar prioridades e até, naturalmente, recolher ideias.

Até acredito que ache que os portugueses estão fartos de debate. Se calhar, o Governo pensa o mesmo. E se calhar, é por isso que o documento apresentado é miséria que nos foi dada a conhecer.

A grande incógnita é porque tentou a maioria esvaziar a proposta do PS por suspostamente requerer um tempo que não haveria. Havia e há tempo para fazer um debate sério. Assim, a maioria ultrapasse o receio de confrontar os seus preconceitos com vozes avisas.

De manuelcav a 01.11.2013 às 12:11

Não é nada estranho que o PS tenha propostas, senão não seria a alternativa que se deseja. Alás, reconhecidamente, existem no PS mentes brilhantes e experientes capazes de produzir propostas capazes de suplantar a pequenez do guião apresentado. O que condeno é a fraca liderança no PS com uma estratégia, em vez de proativa, absolutamente centrada em putativos resultados.

Comentar post




Sitemeter



Comentários recentes

  • João Rosa

    Este post já tem algum tempo mas desde que se inic...

  • Zzzzz

    Qualquer comparação, equiparação, ao nazismo, abso...

  • Sérgio Lavos

    Concordo, devemos respeitar quem é diferente de nó...

  • Bruno

    Muito sinceramente, isto é tudo muito lindo, mas h...

  • alvaro silva

    Só vejo dores de cotovelo e premonições de catástr...







«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.» Ortega y Gasset