Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



29
Jul

As declarações, por parte do PM de Portugal, a menorizar quem trabalha e/ou quem está desempregado não são novidade.

Ainda assim, fico pasma com a pouca relevância dada às declarações do PM na Festa de Verão do PSD de Vila Real, publicadas no Público de hoje:

 

 

 

Ficamos a saber duas coisas: 1) para o PM, aquilo que separa Portugal de novo resgaste é a classificação que Pedro Passos Coelho atribui ao que é ou não importante exercer como profissão (professores, deduz-se); 2) as pessoas que, por azar, não façam aquilo que o PM considera importante (já conhecemos a sua mundividência), então, bom, que desapareçam. Também sabemos que Passos Coelho tem o hábito de dizer assim umas coisas desassombradas no Verão, em particular no Pontal. O ano passado, por exemplo, afirmou que "era importante controlar o défice e fizemo-lo. O país não está a aumentar a dívida, não estamos a endividar-nos mais do que podemos pagar.” Assim sendo, julgo que está provado à saciedade a importância que pode ser atribuída a este PM. E agora, pode ir "fazer alguma coisa para outro lado"? 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


1 comentário

De Equipa SAPO a 30.07.2013 às 09:45

Bom dia,
este post está em destaque na área de Opinião do SAPO.
Cumprimentos,
Ana Barrela - Portal SAPO

Comentar post




Sitemeter



Comentários recentes

  • Jaime Santos

    Eu não entendi o comentário do Diogo Moreira nesse...

  • MRocha

    Se está na lei que devem ser públicas, cumpra-se a...

  • Jaime Santos

    Trump, além de mentiroso, é sobretudo um egomaníac...

  • Joe Strummer

    Pois, mas convem não deixar que noutro lado se ins...

  • Anónimo

    E estou eu contratado pelo estado à 16 anos.







«As circunstâncias são o dilema sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.» Ortega y Gasset